Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 21 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Na região há 870 mil pessoas com nome sujo

Agência Brasil  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Número representa 32,19% da população, segundo levantamento do SerasaConsumidor


Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

24/06/2018 | 07:00


De cada dez moradores do Grande ABC, três estão com o nome sujo por conta de dívidas. É o que aponta o levantamento do SerasaConsumidor, que mostra que atualmente 869.397 pessoas estão negativadas nas sete cidades, o que representa 32,19% do total da população estimada em 2,7 milhões de pessoas.

O levantamento leva em conta os sete municípios, sendo São Bernardo o que reúne o maior número de negativados, com 266.198 pessoas, o que representa 34,78% da população adulta. Porém, Diadema concentra o maior percentual – 38,46%, o que representa 148.492 pessoas. Em todo o Estado de São Paulo o número chega a 14,6 milhões de inadimplentes.
Conforme o gerente da SerasaConsumidor Daniel Ebbesen, a região fica abaixo da média nacional, de 40% de pessoas. “Isso mostra que o Grande ABC, apesar de estar com a média de inadimplentes abaixo da nacional, tem um número considerável de pessoas nesta situação. Representa bastante gente que precisa de orientação financeira. É preocupante”, afirmou ele. Para auxiliar nesta questão, o Serasa mantém iniciativa do caminhão itinerante (leia mais sobre a programação na região abaixo).

Entre as razões para o volume expressivo ainda está o rescaldo da crise econômica, que todo o País enfrentou nos últimos anos. De acordo com o economista e coordenador do curso de Administração do Instituto Mauá de Tecnologia, Ricardo Balistiero, o desemprego pode ser uma das principais razões. “Certamente boa parte disso é reflexo das pessoas terem de se endividar para enfrentar uma situação de falta de emprego. Elas continuam, e precisam continuar, pagando escolas paras as crianças, seguro do carro e muita gente acaba se atrapalhando”, disse.

“Também é comum que pessoas emprestem seu nome para amigos ou familiares que não têm mais crédito. Muitas vezes acontece de esse amigo não pagar a conta”, endossou Daniel Ebbesen, afirmando que a maioria das dívidas é relacionada principalmente a cartões de crédito e demais despesas bancárias.

Para o economista e professor da Escola de Negócios da USCS (Universidade Municipal de São Caetano) Jefferson José da Conceição, o indicador impacta diretamente no crescimento das sete cidades. “Quanto maior o endividamento, menor o consumo. É preocupante porque considerando que o momento mais grave da crise foi em 2015, já era o momento para este indicador estar mais baixo. O número também mostra que a taxa de juros no Brasil é um fator que restringe o crescimento e impacta o endividamento. Embora a taxa Selic tenha caído nos últimos anos, as demais taxas de juros não caíram na mesma proporção e ainda são muito altas”, destacou.


Caminhão itinerante estará em S.Bernardo

O caminhão itinerante do SerasaConsumidor estará no Paço Municipal de São Bernardo a partir de terça-feira. No local, serão disponibilizados serviços como consulta ao CPF, pontuação de crédito, renegociação de dívidas em atraso e orientações relacionadas a questões financeiras. O veículo permanece no local até sexta-feira, dia 29, e realiza atendimento das 8h às 18h.

O projeto também já passou por Diadema entre 21 e 24 de novembro do ano passado, onde registrou média de 500 atendimentos diários. De acordo com o gerente da SerasaConsumidor Daniel Ebbesen, entre os diversos objetivos da ação está trabalhar a educação financeira junto da população das cidades.

“É importante que as pessoas tenham posse da informação para saber para onde vão. No local, elas consultam o CPF, o tamanho da dívida e a partir daí trilham o melhor caminho para dar os próximos passos na negociação. Junto, com o caminhão, também estamos treinando professores da rede pública sobre educação financeira”, destacou. Segundo ele, até abril, cerca de 1.500 educadores foram capacitados, o que representa mais de 20 mil estudantes atingidos.

A escolha das cidades é feita com base em diversos dados, entre eles, o número de pessoas endividadas e as que passam diariamente pelos locais. “A gente percebe que o brasileiro como todo tem perfil similar. Um dos principais problemas é o descontrole de cartão de crédito, ou passar do limite ou não conseguir pagar, e ir pagando mínimo. Isso está entre os problemas mais comuns”, afirmou Ebbensen.

A Ativos S. Fechou a parceria com o SerasaConsumidor para que seus clientes possam negociar suas dívidas com condições especiais no próprio caminhão. Caso isso aconteça, ele terá acesso as melhores condições e já sai com os boletos impressos. Para saber se a dívida poderá ser negociada, o consumidor tem a possibilidade de consultar no site do SerasaConsumidor e no site da Ativos ou 0800-644-3030.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Na região há 870 mil pessoas com nome sujo

Número representa 32,19% da população, segundo levantamento do SerasaConsumidor

Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

24/06/2018 | 07:00


De cada dez moradores do Grande ABC, três estão com o nome sujo por conta de dívidas. É o que aponta o levantamento do SerasaConsumidor, que mostra que atualmente 869.397 pessoas estão negativadas nas sete cidades, o que representa 32,19% do total da população estimada em 2,7 milhões de pessoas.

O levantamento leva em conta os sete municípios, sendo São Bernardo o que reúne o maior número de negativados, com 266.198 pessoas, o que representa 34,78% da população adulta. Porém, Diadema concentra o maior percentual – 38,46%, o que representa 148.492 pessoas. Em todo o Estado de São Paulo o número chega a 14,6 milhões de inadimplentes.
Conforme o gerente da SerasaConsumidor Daniel Ebbesen, a região fica abaixo da média nacional, de 40% de pessoas. “Isso mostra que o Grande ABC, apesar de estar com a média de inadimplentes abaixo da nacional, tem um número considerável de pessoas nesta situação. Representa bastante gente que precisa de orientação financeira. É preocupante”, afirmou ele. Para auxiliar nesta questão, o Serasa mantém iniciativa do caminhão itinerante (leia mais sobre a programação na região abaixo).

Entre as razões para o volume expressivo ainda está o rescaldo da crise econômica, que todo o País enfrentou nos últimos anos. De acordo com o economista e coordenador do curso de Administração do Instituto Mauá de Tecnologia, Ricardo Balistiero, o desemprego pode ser uma das principais razões. “Certamente boa parte disso é reflexo das pessoas terem de se endividar para enfrentar uma situação de falta de emprego. Elas continuam, e precisam continuar, pagando escolas paras as crianças, seguro do carro e muita gente acaba se atrapalhando”, disse.

“Também é comum que pessoas emprestem seu nome para amigos ou familiares que não têm mais crédito. Muitas vezes acontece de esse amigo não pagar a conta”, endossou Daniel Ebbesen, afirmando que a maioria das dívidas é relacionada principalmente a cartões de crédito e demais despesas bancárias.

Para o economista e professor da Escola de Negócios da USCS (Universidade Municipal de São Caetano) Jefferson José da Conceição, o indicador impacta diretamente no crescimento das sete cidades. “Quanto maior o endividamento, menor o consumo. É preocupante porque considerando que o momento mais grave da crise foi em 2015, já era o momento para este indicador estar mais baixo. O número também mostra que a taxa de juros no Brasil é um fator que restringe o crescimento e impacta o endividamento. Embora a taxa Selic tenha caído nos últimos anos, as demais taxas de juros não caíram na mesma proporção e ainda são muito altas”, destacou.


Caminhão itinerante estará em S.Bernardo

O caminhão itinerante do SerasaConsumidor estará no Paço Municipal de São Bernardo a partir de terça-feira. No local, serão disponibilizados serviços como consulta ao CPF, pontuação de crédito, renegociação de dívidas em atraso e orientações relacionadas a questões financeiras. O veículo permanece no local até sexta-feira, dia 29, e realiza atendimento das 8h às 18h.

O projeto também já passou por Diadema entre 21 e 24 de novembro do ano passado, onde registrou média de 500 atendimentos diários. De acordo com o gerente da SerasaConsumidor Daniel Ebbesen, entre os diversos objetivos da ação está trabalhar a educação financeira junto da população das cidades.

“É importante que as pessoas tenham posse da informação para saber para onde vão. No local, elas consultam o CPF, o tamanho da dívida e a partir daí trilham o melhor caminho para dar os próximos passos na negociação. Junto, com o caminhão, também estamos treinando professores da rede pública sobre educação financeira”, destacou. Segundo ele, até abril, cerca de 1.500 educadores foram capacitados, o que representa mais de 20 mil estudantes atingidos.

A escolha das cidades é feita com base em diversos dados, entre eles, o número de pessoas endividadas e as que passam diariamente pelos locais. “A gente percebe que o brasileiro como todo tem perfil similar. Um dos principais problemas é o descontrole de cartão de crédito, ou passar do limite ou não conseguir pagar, e ir pagando mínimo. Isso está entre os problemas mais comuns”, afirmou Ebbensen.

A Ativos S. Fechou a parceria com o SerasaConsumidor para que seus clientes possam negociar suas dívidas com condições especiais no próprio caminhão. Caso isso aconteça, ele terá acesso as melhores condições e já sai com os boletos impressos. Para saber se a dívida poderá ser negociada, o consumidor tem a possibilidade de consultar no site do SerasaConsumidor e no site da Ativos ou 0800-644-3030.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;