Fechar
Publicidade

Sábado, 16 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Indicador Antecedente Composto cai 1% em maio ante abril, diz FGV



14/06/2018 | 12:50


O Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil fechou o mês de maio com uma queda de 1% na comparação com abril, informou nesta quinta-feira, 14, o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) e The Conference Board (TCB). Com o recuo, o indicador fechou a 116 pontos.

Das oito séries componentes do indicador, quatro contribuíram para a queda, com destaque para o Índice de Ações Ibovespa, que recuou 10,9%.

Para o economista do Ibre/FGV, Paulo Picchetti, o recuo do ICCE no mês passado reflete uma deterioração das expectativas representadas em seus componentes.

"As dificuldades de aprovação das reformas necessárias para a melhora do quadro fiscal, bem como os desdobramentos da greve dos caminhoneiros, pioraram a percepção com relação à retomada do nível de atividade, que já vinha sendo considerada modesta", afirma Picchetti.

Na mesma base de comparação, o Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE) do Brasil caiu 0,1%. Este indicador mede as condições atuais da economia.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Indicador Antecedente Composto cai 1% em maio ante abril, diz FGV


14/06/2018 | 12:50


O Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil fechou o mês de maio com uma queda de 1% na comparação com abril, informou nesta quinta-feira, 14, o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV) e The Conference Board (TCB). Com o recuo, o indicador fechou a 116 pontos.

Das oito séries componentes do indicador, quatro contribuíram para a queda, com destaque para o Índice de Ações Ibovespa, que recuou 10,9%.

Para o economista do Ibre/FGV, Paulo Picchetti, o recuo do ICCE no mês passado reflete uma deterioração das expectativas representadas em seus componentes.

"As dificuldades de aprovação das reformas necessárias para a melhora do quadro fiscal, bem como os desdobramentos da greve dos caminhoneiros, pioraram a percepção com relação à retomada do nível de atividade, que já vinha sendo considerada modesta", afirma Picchetti.

Na mesma base de comparação, o Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE) do Brasil caiu 0,1%. Este indicador mede as condições atuais da economia.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;