Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Sto.André prevê abertura de propostas para dia 26 de julho

Concorrência definirá empresa que vai operar 16 linhas de ônibus que circulam na cidade


Daniel Macário
Do Diário do Grande ABC

08/06/2018 | 07:00


 A Prefeitura de Santo André, por meio da SATrans (autarquia responsável pelo transporte municipal da cidade), prevê para o dia 26 de julho a abertura de propostas a serem encaminhadas por empresas ou consórcios interessados em operar pelos próximos 20 anos o sistema de linhas municipais que atende a região da Vila Luzita.

Previsto para ser aberto no fim do mês passado, o edital do processo licitatório da subconcessão do sistema estará disponível para consulta de interessados a partir de segunda-feira. O aviso de licitação deverá ser publicado hoje pelo Paço.

O certame tem o objetivo de definir a empresa que vai operar as 16 linhas de ônibus do chamado lote B do transporte municipal andreense. Desde outubro de 2016, quando a Expresso Guarará paralisou suas atividades e entrou em falência, o trecho, responsável por receber 50 mil passageiros por dia, é administrado pela Suzantur – inicialmente via contrato emergencial e, atualmente, a título precário.

A expectativa da Prefeitura é a de que a assinatura do acordo com a empresa que irá operar o sistema de transporte municipal da região da Vila Luzita ocorra dentro de seis meses. Conforme a Paço, a vencedora do certame, além de manter o Terminal da Vila Luzita, deverá modernizar a frota de ônibus com a instalação de wi-fi, pontos de carregamento de celular e painéis digitais.

Operado atualmente pela Suzantur, em caráter de título precário, o sistema de trasporte público da Vila Luzita tem colecionado polêmicas. A principal delas envolve ações judiciais que investigaram a suspeita de fraude no processo que culminou na escolha da Suzantur para operar o sistema via contrato emergencial em 2016, no fim do mandato do ex-prefeito Carlos Grana (PT).

A empresa também foi alvo de investigação semelhante em Mauá. Em São Carlos, no Interior do Estado, onde a empresa também opera o sistema, a Prefeitura chegou a assumir o transporte público após o serviço entrar em “estado de calamidade”.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;