Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 24 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Movimento 5 Estrelas e Liga ainda negociam para formar governo na Itália

Associated Press Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


31/05/2018 | 09:25


O Movimento 5 Estrelas (M5S) e a Liga dialogam nesta quinta-feira para tentar formar uma nova administração, o que poderia levar uma equipe cética sobre a União Europeia ao comando da terceira maior economia da zona do euro. Na quarta-feira, o líder do M5S, Luigi Di Maio, propôs um novo governo com a Liga, no qual o economista Paolo Savona poderia ocupar outro ministério que não o da Economia, para tentar chegar a um acordo. O nome de Savona na pasta da Economia havia sido vetado pelo presidente Sergio Mattarella.

O presidente pediu que Carlo Cottarelli, ex-diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI), tente formar um governo, para evitar novas eleições. Caso não ocorra um acordo, poderia haver eleições antecipadas, talvez já em julho.

Mattarella decidiu dar aos dois partidos mais tempo para tentar formar governo, sem estabelecer prazos. Caso não se chegue a um acordo, Cottarelli pode comandar uma administração interina até novas eleições parlamentares, dentro de alguns meses.

Se o governo for fechado, investidores podem ficar aliviados com o fato de que não deve haver uma nova eleição em breve. Ao mesmo tempo, os dois partidos mostram antipatia pelo euro e pela União Europeia, portanto a coalizão poderia deixar os mercados temerosos.

Duas pesquisas de opinião mostraram que grande maioria dos italianos defende que o país siga no bloco europeu, com 72% de apoio à manutenção do país na zona do euro em uma das sondagens. O analista Josh Mahony, da corretora IG, afirma que uma coalizão de governo sem uma nova votação nem um ministro das Finanças contrário à UE, como Savona, seria o "resultado ideal" para os mercados. Fonte: Dow Jones Newswires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Movimento 5 Estrelas e Liga ainda negociam para formar governo na Itália


31/05/2018 | 09:25


O Movimento 5 Estrelas (M5S) e a Liga dialogam nesta quinta-feira para tentar formar uma nova administração, o que poderia levar uma equipe cética sobre a União Europeia ao comando da terceira maior economia da zona do euro. Na quarta-feira, o líder do M5S, Luigi Di Maio, propôs um novo governo com a Liga, no qual o economista Paolo Savona poderia ocupar outro ministério que não o da Economia, para tentar chegar a um acordo. O nome de Savona na pasta da Economia havia sido vetado pelo presidente Sergio Mattarella.

O presidente pediu que Carlo Cottarelli, ex-diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI), tente formar um governo, para evitar novas eleições. Caso não ocorra um acordo, poderia haver eleições antecipadas, talvez já em julho.

Mattarella decidiu dar aos dois partidos mais tempo para tentar formar governo, sem estabelecer prazos. Caso não se chegue a um acordo, Cottarelli pode comandar uma administração interina até novas eleições parlamentares, dentro de alguns meses.

Se o governo for fechado, investidores podem ficar aliviados com o fato de que não deve haver uma nova eleição em breve. Ao mesmo tempo, os dois partidos mostram antipatia pelo euro e pela União Europeia, portanto a coalizão poderia deixar os mercados temerosos.

Duas pesquisas de opinião mostraram que grande maioria dos italianos defende que o país siga no bloco europeu, com 72% de apoio à manutenção do país na zona do euro em uma das sondagens. O analista Josh Mahony, da corretora IG, afirma que uma coalizão de governo sem uma nova votação nem um ministro das Finanças contrário à UE, como Savona, seria o "resultado ideal" para os mercados. Fonte: Dow Jones Newswires.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;