Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

China diz que avaliará planos dos EUA e sugere que pode retaliar

Associated Press Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


31/05/2018 | 07:37


O Ministério do Comércio da China afirmou nesta quinta-feira que avaliará o plano de tarifas dos Estados Unidos e que se reserva o direito de adotar ações. Em entrevista coletiva, o porta-voz Gao Feng pediu que os EUA cumpram o acordo fechado entre os dois países em Washington, segundo o qual tarifas antes anunciadas não seriam aplicadas.

Há ainda margem para diálogo, já que uma delegação de 50 autoridades americanas, que chegou a Pequim na quarta-feira, discute modos de implementar essa trégua, comentou Gao.

A China facilitará que investidores estrangeiros tenham acesso a mais setores, incluindo automóveis, energia, recursos e infraestrutura, disse o porta-voz.

Nesta terça-feira, a Casa Branca disse que os EUA avançam com sua ameaça de impor tarifas sobre importações chinesas, entre outras ações para restringir o acesso de Pequim a tecnologia considerada sensível pelos EUA.

O porta-voz não mencionou a visita do secretário do Comércio americano, Wilbur Ross, prevista para esse fim de semana. Fonte: Dow Jones Newswires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

China diz que avaliará planos dos EUA e sugere que pode retaliar


31/05/2018 | 07:37


O Ministério do Comércio da China afirmou nesta quinta-feira que avaliará o plano de tarifas dos Estados Unidos e que se reserva o direito de adotar ações. Em entrevista coletiva, o porta-voz Gao Feng pediu que os EUA cumpram o acordo fechado entre os dois países em Washington, segundo o qual tarifas antes anunciadas não seriam aplicadas.

Há ainda margem para diálogo, já que uma delegação de 50 autoridades americanas, que chegou a Pequim na quarta-feira, discute modos de implementar essa trégua, comentou Gao.

A China facilitará que investidores estrangeiros tenham acesso a mais setores, incluindo automóveis, energia, recursos e infraestrutura, disse o porta-voz.

Nesta terça-feira, a Casa Branca disse que os EUA avançam com sua ameaça de impor tarifas sobre importações chinesas, entre outras ações para restringir o acesso de Pequim a tecnologia considerada sensível pelos EUA.

O porta-voz não mencionou a visita do secretário do Comércio americano, Wilbur Ross, prevista para esse fim de semana. Fonte: Dow Jones Newswires.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;