Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Via sem asfalto e esburacada dificulta a locomoção de cadeirantes em Rio Grande

Claudinei Plaza/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Rua Natal Perilo está repleta de pedras; moradores evitam sair de casa por medo de acidentes no local


Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

02/05/2018 | 07:00


 Os moradores da Rua Natal Perilo, no Jardim Esperança, em Rio Grande da Serra, não têm o mesmo sentimento que dá nome ao bairro quanto a projeto de melhorias da via. De terra, repleta de pedras e de buracos, a locomoção, já difícil para quem possui plenas condições de mobilidade, é ainda pior para quem sofre algum tipo de deficiência.

A filha de Isaura Rodrigues Nardi, 77 anos, é cadeirante, condição que não a impossibilitaria de, em sua cadeira de rodas, poder sair de casa para passear. Mas com tantos obstáculos, que resultam no risco do deslocamento, a mãe mantém Maria Gorete Aparecida Nardi, 32, em casa. “Esses dias, tentei sair com ela, mas a cadeira tombou com o buraco. Ela chora que quer passear, mas como vou fazer?”, questiona Isaura. “Eu também já levei um tombo e me machuquei”, completa a idosa.

O aposentado Joel Donato Mendes, 68, também tem um filho que, embora não utilize cadeira de rodas, possui mobilidade reduzida. “Ele já caiu e cortou o joelho”, relata.

Além dos acidentes, os moradores sofrem com os transtornos que a terra traz, em qualquer que seja a condição climática. “Ou a casa está suja de barro, quando chove, ou de pó, quando o tempo está seco”, fala Mendes.

Os moradores dizem que maquinário da Prefeitura passa pela via só de vez em quando, para minimizar os transtornos.

Pavimentação da rua estava inclusa nas intervenções previstas do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Mobilidade, iniciada na cidade em 2015. Todo o projeto do PAC no município tem investimento de R$ 41 milhões. Procurada para falar sobre a via, a Prefeitura não retornou até o fechamento desta edição.

 

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Via sem asfalto e esburacada dificulta a locomoção de cadeirantes em Rio Grande

Rua Natal Perilo está repleta de pedras; moradores evitam sair de casa por medo de acidentes no local

Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

02/05/2018 | 07:00


 Os moradores da Rua Natal Perilo, no Jardim Esperança, em Rio Grande da Serra, não têm o mesmo sentimento que dá nome ao bairro quanto a projeto de melhorias da via. De terra, repleta de pedras e de buracos, a locomoção, já difícil para quem possui plenas condições de mobilidade, é ainda pior para quem sofre algum tipo de deficiência.

A filha de Isaura Rodrigues Nardi, 77 anos, é cadeirante, condição que não a impossibilitaria de, em sua cadeira de rodas, poder sair de casa para passear. Mas com tantos obstáculos, que resultam no risco do deslocamento, a mãe mantém Maria Gorete Aparecida Nardi, 32, em casa. “Esses dias, tentei sair com ela, mas a cadeira tombou com o buraco. Ela chora que quer passear, mas como vou fazer?”, questiona Isaura. “Eu também já levei um tombo e me machuquei”, completa a idosa.

O aposentado Joel Donato Mendes, 68, também tem um filho que, embora não utilize cadeira de rodas, possui mobilidade reduzida. “Ele já caiu e cortou o joelho”, relata.

Além dos acidentes, os moradores sofrem com os transtornos que a terra traz, em qualquer que seja a condição climática. “Ou a casa está suja de barro, quando chove, ou de pó, quando o tempo está seco”, fala Mendes.

Os moradores dizem que maquinário da Prefeitura passa pela via só de vez em quando, para minimizar os transtornos.

Pavimentação da rua estava inclusa nas intervenções previstas do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Mobilidade, iniciada na cidade em 2015. Todo o projeto do PAC no município tem investimento de R$ 41 milhões. Procurada para falar sobre a via, a Prefeitura não retornou até o fechamento desta edição.

 

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;