Fechar
Publicidade

Sábado, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Spreads bancários caem em ritmo mais lento que desejado, diz indicada ao BC



17/04/2018 | 14:41


A indicada para a diretoria de Administração do Banco Central, Carolina de Assis Barros, citou nesta terça-feira, 17, o presidente da autoridade monetária, Ilan Goldfajn, para dizer que, de fato, os spreads bancários estão caindo em ritmo mais lento que o desejado pela instituição.

"É preciso perseverança, não vamos resolver isso com retórica ou 'na marra'. Por isso construímos a Agenda BC+ com medidas para melhorar as garantias no sistema financeiro e reduzir a assimetria de informações por meio, por exemplo, do cadastro positivo" afirmou Carolina, em sabatina na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.

Ela também citou iniciativas do BC para o estímulo à concorrência no mercado bancário, como o estímulo às fintechs de crédito e medidas sobre os meios de pagamento, como a redução da taxa de intercâmbio no uso do cartão de débito.

Repetiu o entendimento do BC de que o crescimento das moedas virtuais - como a Bitcoin - deve ser olhado com cuidado porque se trata de moedas sem lastros. Ela lembrou ainda que essas transações envolvem remessas de dinheiro para o exterior e podem levar à responsabilização dos usuários.

Carolina defendeu o projeto de autonomia do Banco Central e avaliou que o mandato principal da autoridade monetária deve ser o controle da inflação. "O Copom já usa nas suas avaliações projeções de emprego e renda que são consideradas nas decisões de política monetária", completou.

Questionada pelos parlamentares sobre a recente compra de cédulas no exterior, ela respondeu que houve uma situação de emergência que impediu que a Casa da Moeda atendesse à demanda de meio circulante. "Para este ano, 95% das compras serão feitas com a Casa da Moeda", afirmou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;