Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 5 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Uma só voz

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Dona do hit ‘Era uma Vez’, cantora Kell Smith se apresenta hoje no Sesc Santo André


Caroline Manchini

31/03/2018 | 07:00


Para muitos é só entretenimento, mas para Kell Smith, 24 anos, conhecida pelo sucesso Era Uma Vez, a música é “forma de dialogar e mostrar que as pessoas não estão sozinhas”. O setlist do show de hoje, às 20h, no Sesc Santo André, tem mais hits da paulista, mas também composições de Rita Lee e Mutantes, entre outros. 

Elis Regina é uma que nunca fica de fora do repertório. Durante entrevista em estúdio na Capital, ela contou ao Diário que a ligação com a Pimentinha surgiu de forma inusitada, quando tinha 12 anos. Após encontrar vitrola no lixo e consertá-la, o pai da artista a presenteou com o aparelho junto ao clássico Falso Brilhante, de 1976. Mal sabia ele que esse seria o estopim para a carreira da filha. “Elis mudou minha vida e, se pudesse, gostaria de agradecê-la por isso”, conta.

Foi por meio dela que Kell teve contato com a bossa nova e MPB, bem como com os cantores Milton Nascimento e Belchior, hoje, sua maior referência de compositor. Na época, ela não sonhava em compor ou cantar. Foi novamente por incentivo do pai que decidiu explorar seus talentos.


Os bares de Presidente Prudente, no Interior de São Paulo, foram, durante 1 ano, palco e escola para a artista, que experimentou interpretar diversos gêneros musicais. Como já estava envolvida com a música, Kell compôs, em 2014, sua primeira canção, chamada Viajar é Preciso. Por intermédio de um amigo, mostrou a letra ao produtor Rick Bonadio. “Depois dessa, passei a compor mais e me entender como artista”, comenta. A segunda composição, Era Uma Vez, chamou a atenção de Rick, que decidiu produzi-la. Deu no que deu.

Com mais de 120 milhões de visualizações, o hit ganhou espaço nas rádios e no coração dos fãs. Só no Instagram, mais de 190 mil acompanham a carreira e a rotina da cantora. Mais do que entretenimento, ela busca apresentar, em suas canções, reflexão acerca do mundo em que vivemos. Amor, tolerância e respeito às mulheres, são temas presentes no repertório. “Faço minhas músicas para pessoas reais, falo do amor real e quero que se sintam acolhidas, saibam que, assim como elas, também percebi a maldade do mundo”, explica.

Apesar de o show de hoje ser o primeiro na região, a cantora já esteve por aqui. Filha de pastores missionários, Kell morou em diversas cidades. São Bernardo foi uma delas. “Foi época bem legal da minha vida”, relembra. De volta, está ansiosa pela apresentação. “Eu e meus músicos tentamos passar o que temos de melhor e o nosso amor pela arte. Espero que a galera do Grande ABC possa sentir o mesmo que nós e que se divirta”, finaliza.

Kell Smith – Música. No Sesc Santo André – Rua Tamarutaca, 302. Hoje, às 20h. Ingr.: R$ 6, R$ 11 ou R$ 20 (no local ou www.sescsp.org.br.)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Uma só voz

Dona do hit ‘Era uma Vez’, cantora Kell Smith se apresenta hoje no Sesc Santo André

Caroline Manchini

31/03/2018 | 07:00


Para muitos é só entretenimento, mas para Kell Smith, 24 anos, conhecida pelo sucesso Era Uma Vez, a música é “forma de dialogar e mostrar que as pessoas não estão sozinhas”. O setlist do show de hoje, às 20h, no Sesc Santo André, tem mais hits da paulista, mas também composições de Rita Lee e Mutantes, entre outros. 

Elis Regina é uma que nunca fica de fora do repertório. Durante entrevista em estúdio na Capital, ela contou ao Diário que a ligação com a Pimentinha surgiu de forma inusitada, quando tinha 12 anos. Após encontrar vitrola no lixo e consertá-la, o pai da artista a presenteou com o aparelho junto ao clássico Falso Brilhante, de 1976. Mal sabia ele que esse seria o estopim para a carreira da filha. “Elis mudou minha vida e, se pudesse, gostaria de agradecê-la por isso”, conta.

Foi por meio dela que Kell teve contato com a bossa nova e MPB, bem como com os cantores Milton Nascimento e Belchior, hoje, sua maior referência de compositor. Na época, ela não sonhava em compor ou cantar. Foi novamente por incentivo do pai que decidiu explorar seus talentos.


Os bares de Presidente Prudente, no Interior de São Paulo, foram, durante 1 ano, palco e escola para a artista, que experimentou interpretar diversos gêneros musicais. Como já estava envolvida com a música, Kell compôs, em 2014, sua primeira canção, chamada Viajar é Preciso. Por intermédio de um amigo, mostrou a letra ao produtor Rick Bonadio. “Depois dessa, passei a compor mais e me entender como artista”, comenta. A segunda composição, Era Uma Vez, chamou a atenção de Rick, que decidiu produzi-la. Deu no que deu.

Com mais de 120 milhões de visualizações, o hit ganhou espaço nas rádios e no coração dos fãs. Só no Instagram, mais de 190 mil acompanham a carreira e a rotina da cantora. Mais do que entretenimento, ela busca apresentar, em suas canções, reflexão acerca do mundo em que vivemos. Amor, tolerância e respeito às mulheres, são temas presentes no repertório. “Faço minhas músicas para pessoas reais, falo do amor real e quero que se sintam acolhidas, saibam que, assim como elas, também percebi a maldade do mundo”, explica.

Apesar de o show de hoje ser o primeiro na região, a cantora já esteve por aqui. Filha de pastores missionários, Kell morou em diversas cidades. São Bernardo foi uma delas. “Foi época bem legal da minha vida”, relembra. De volta, está ansiosa pela apresentação. “Eu e meus músicos tentamos passar o que temos de melhor e o nosso amor pela arte. Espero que a galera do Grande ABC possa sentir o mesmo que nós e que se divirta”, finaliza.

Kell Smith – Música. No Sesc Santo André – Rua Tamarutaca, 302. Hoje, às 20h. Ingr.: R$ 6, R$ 11 ou R$ 20 (no local ou www.sescsp.org.br.)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;