Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Santo André, Burle Marx e um legado preservado

É ele quem assina o paisagismo da Praça Quarto Centenário


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

24/09/2010 | 00:00


Burle Marx está presente de várias formas no cotidiano de Santo André. É ele quem assina o paisagismo da Praça Quarto Centenário. Ali há um jardim com o seu nome. O espelho d'água é seu. Idem o conjunto geométrico em concreto no saguão do Teatro Municipal e tapeçaria no interior do Paço Municipal.

Também é de Burle Marx o desenho dos ladrilhos utilizados há 40 anos nas calçadas da cidade. Sucederam-se as administrações públicas desde então, com várias ideologias e formas de enxergar Santo André. Mas os ladrilhos burlemarxianos continuam a ser produzidos e empregados.

As fotos de hoje demonstram isso. Foram tiradas há poucos dias pela professora Maria Augusta Parada Buesa, autora de trabalho de conclusão de curso pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Fundação Santo André (2006). O trabalho da acadêmica focaliza justamente a presença de Burle Marx em Santo André.

Diz a professora: "Uma nova construção surge no centro de Santo André, mas o cuidado com a preservação e memória da calçada, elaborada pelo artista, continua".

O local da calçada é a Rua Luiz Pinto Flaquer, entre os números 380 e 400.

QUEM É
Roberto Burle Marx (São Paulo 4-8-1909 - Rio de Janeiro 4-6-1994). Artista plástico, arquiteto e paisagista de renome internacional. Sua obra espalha-se por vários países. No Grande ABC, especialmente em Santo André, está presente em praças e corredores verdes. Destacava sempre espécies localizadas na Serra do Mar.

A praça da Igreja São Judas Tadeu, no bairro Campestre, em Santo André, ganhou projeto de Burle Marx, mas hoje está descaracterizada. Os jardins da Scania, em São Bernardo, foram idealizados por ele, com vegetação da Mata Atlântica. S

Crônica de São Bernardo
Texto: Benjamin Versolato


Década de 1930. Ciccilo Matarazzo, sobrinho do poderoso conde Francisco Matarazzo, cruza a Rua Marechal Deodoro, no Centro de São Bernardo, e tem a atenção chamada pelo som que emana do beco da Travessa Marechal. Nota que Joaquim Mariano Ribeiro tocava numa flauta de bambu, feita por ele mesmo. "Por que tocas numa flauta de bambu?", indaga Ciccilo. "Porque não tenho dinheiro para comprar uma mais adequada", responde Joaquim, humildemente. Ciccilo Matarazzo promete uma flauta novinha de metal e cumpre a promessa. Foi o dia mais feliz na vida do então jovem músico são-bernardense.

EM 24 DE SETEMBRO DE...

1970 - Proferida a aula inaugural da Faculdade de Educação Física de Santo André.

1970 - Lunik 16, lançado pela União Soviética, retorna à Terra com amostras do solo lunar.

SANTOS DO DIA
Ama, Geraldo de Csanad, Germaro, Senhora das Mercês, Pacífico, Pedro Nolasco, Tirso e Vicente Maria Strambi.

Na estampa, Nossa Senhora das Mercês, cuja devoção nasce na Espanha, em 1218. Mercê significa ‘obras de misericórdia'.

Trabalhadores
Nascem em 24 de setembro de...
1912 - José Luiz Gomes, nascido em Socorro (SP). Operário da Alca. Residia à Rua da Escola, 740, em Camilópolis.
1918 - Domingos Sasso, de Casa Branca (SP). Guarda/vigilante da Alca. Residia à Rua Oswaldo Cruz, em São Caetano.
1920 - Sebastião Soares da Silva, mineiro, operário da Atlantis.
Fonte: 1º livro geral de registro dos associados do Sindicato dos Químicos do ABC.

HOJE

Dia do Soldador.

DIÁRIO HÁ 30 ANOS
Quarta-feira, 24 de setembro de 1980

Manchete - Irã bombardeia Bagdá e Iraque cerca Abada; Delfim Neto (ministro do Planejamento) nega adoção do racionamento.

São Bernardo - Represa Billings ganhará barragem para evitar a mistura da água suja com a limpa.

Sindicalismo - Médicos residentes entram em greve.

Editorial - Aceitar Lula como ele é, eis a chave.

Falecimentos

SANTO ANDRÉ
Na primeira quinzena de setembro, faleceram em Santo André 11 moradores com mais de 90 anos. A moradora mais idosa partiu aos 104 anos.

Da lista fazem parte vários sobrenomes históricos da cidade, entre os quais Marchiotto, Fratini, Giunti, Guazzelli e Cestari.

Segue-se a relação de falecidos em Santo André com mais de 90 anos.

Antonia Cavalcante Macedo, 104.
Olívia Marchiotto Fratini, 97.
Mario Tartarini, 96.
Guiomar Ribeiro Giunti, 95.
Maria Inácio da Cruza, 94.
Ilda Guedes Guazzelli, 93.
Benedita Felix Dias Rosa, 93.
Tranquinio Caffagni, 92.
Maria Cestari Saturnino, 91.
Benedito Carrochano, 91.
Lucinda da Silva Amador, 90.

SÃO BERNARDO
Agemiro Pedro de Oliveira, 88. Natural de Alegre (ES). Dia 21. Cemitério dos Casa.
Julieta Correa Lisboa, 87. Natural de Tatuí (SP). Dia 22. Cemitério dos Casa.
Heitor Cezario Leite, 85. Natural de Monte Sião (MG). Dia 21. Cemitério da Paulicéia.
Eny Eide, 77. Natural de Santo Amaro (SP). Dia 21. Cemitério dos Casa.
Lauricy Roberto Pinto, 71. Natural de Jacareí (SP). Dia 21. Cemitério de Vila Alpina, na Capital.
Izabel dos Santos Oliveira Netto, 65. Natural de Pedregulho (SP). Dia 22. Cemitério dos Casa.
Alejandro Arraz Gascon, 64. Natural da Espanha. Dia 21. Cemitério Jardim da Colina.

SÃO CAETANO
Maria Carmen Bidóia Basaglia, 91. Dia 18. Cemitério da Cerâmica.
Altino Cajado da Silva, 87. Dia 14. Cemitério da Cerâmica.
Iolanda Sasso Cunha, 83. Dia 20. Cemitério da Cerâmica.
André Procópio, 63. Natural de São Paulo (SP). Dia 21. Cemitério das Lágrimas.
Maria Aparecida Atencia, 68. Natural de São Paulo (SP). Dia 20. Cemitério das Lágrimas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;