Fechar
Publicidade

Domingo, 17 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Boxe na terceira idade conquista adeptas em Rio Grande


Rita Norberto
Do Diário do Grande ABC

26/10/2002 | 16:57


“Com o boxe, passei a me sentir mais ágil, disposta, mais eu mesma. Também sinto que posso me defender, se precisar”, disse a aposentada Edna Santiago, 62 anos, moradora de Rio Grande da Serra. Não há engano. Edna faz parte de um grupo de 49 alunos – 47 senhoras e dois homens – da terceira idade que há três meses recebe aulas de boxe com o pugilista profissional Ailton Pessoa, um projeto social da Secretaria de Cidadania e Ação Social da Prefeitura de Rio Grande.

Elas e os dois homens se reúnem segundas-feiras e quartas-feiras, das 8h às 10h, na sede da Associação Cria Brasil. No início, eram apenas 15. “No convite, pedi para dizer que era ginástica e alongamento, porque se falasse que era boxe, elas não viriam”, disse o professor. Pessoa é pugilista profissional há 12 anos, campeão brasileiro e sul-americano de kick boxing (modalidade de boxe que se mistura com artes marciais e usa as pernas), na categoria médio-ligeiro, campeão brasileiro e segundo do ranking mundial de full contact (outra variação de mistura com artes marciais).

A idéia de ensinar boxe para senhoras foi dele. “A terceira idade é carente e esquecida e o boxe, muito discriminado. Pensei em unir os dois de forma positiva. Quando eles colocam as luvas, sentem que podem tudo, que estão vivos”, disse. A intenção não é a competição, nem contato físico. Eles aprendem os golpes básicos e os benefícios do esporte: diversão, união, a melhora da coordenação motora, auto-estima, autoconfiança e o fortalecimento da musculatura. Mudanças já sentidas na prática.

Uma das alunas mais empenhadas é a dona de casa Maria Angélica de Almeida, 64 anos, que mora no Centro de Rio Grande da Serra. Ela já sente o corpo mais leve e mais disposição para o serviço. “Não lutamos uma com a outra, é apenas uma brincadeira, uma novidade, estou gostando muito”, disse.

A dona de casa Maria de Lourdes Souza, 70 anos, é um exemplo de que idade e condição física não são impedimento. “Já operei três hérnias de disco na coluna e tenho osteoporose. Falei para o meu médico, ele achou engraçado e disse que tudo bem.” Para acompanhá-la, seu marido, João de Ramos,75 anos, resolveu fazer também.

Segundo a médica Sandra Matsudo, diretora do Celafiscs (Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano), a prática do boxe para idosos, sem contato físico, não tem contra-indicação e pode, sim, trazer benefícios. “Da forma que é realizado, o esporte trabalha a força muscular, torna mais rápida a reação a um estímulo, que são as variáveis que mais se perdem no processo de envelhecimento, além do benefício da socialização que ele está promovendo”, disse.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;