Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 20 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Apesar de investigação, Milreu é nomeado reitor

Banco de Dados/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Gestor da FSA a partir de 1º de abril, ele é suspeito de ter ingressado na instituição sem concurso


Bia Moço
Especial para o Diário

06/03/2018 | 07:00


 Alvo de investigação por parte da comunidade acadêmica, tendo em vista suspeita de que tenha sido contratado sem passar por concurso público, o que é proibido por lei, o professor Francisco José Santos Milreu foi oficialmente nomeado como reitor da FSA (Fundação Santo André). O docente assumirá o exercício a partir do dia 1º de abril e cumprirá mandato até 31 de março de 2022. Apesar das denúncias, até então ignoradas pelo docente, ele obteve maioria – 44,65% – entre os votos válidos no conselho universitário.

A publicação no Diário Oficial da cidade, feita no sábado, ocorreu com dois meses de atraso do prazo inicial dado pelo prefeito Paulo Serra (PSDB), em janeiro. A nomeação foi definida na semana passada, após reunião entre o chefe do Executivo e representantes do Sinpro-ABC (Sindicato dos Professores do ABC). A ideia é a de que seja feito período de transição até a posse oficial, tendo em vista a situação crítica em que se encontra o centro universitário.

Questionado sobre a nomeação do novo reitor antes da conclusão do processo de sindicância que o investiga, o prefeito Paulo Serra destacou que, caso confirmada a fraude no histórico do reitor eleito, o processo eleitoral será anulado. Também concorreram ao cargo Andrea Dias Quintao (obteve 39,68% dos votos válidos) e Edvaldo Luis Rossini, o Didi (15,67%) – que solicitou, em janeiro, a retirada do seu nome da disputa.

 

PRORROGAÇÃO

Em paralelo à escolha do novo reitor, o pente-fino que investiga todos os 450 contratos de trabalho da instituição foi prorrogado por mais 30 dias, após um mês de análises. O tempo total da sindicância pode chegar a 90 dias. Ao todo, oito pessoas – entre professores e funcionários administrativos – escolhidos pela reitora fazem a averiguação nos documentos dos contratados.

Em oportunidade anterior, a atual reitora, Leila Modanez, havia destacado a intenção de que a comissão formada concluísse a apuração o mais rápido possível. Investigação preliminar a que o Diário teve acesso apontou 126 profissionais com documentação insuficiente para comprovar modelo de contratação.

 

PLANO

Embora os problemas financeiros e administrativos da FSA sejam velhos conhecidos, inclusive alvos de diversas reportagens do Diário, Milreu afirmou, ontem, que somente agora tomará pé da situação para definir as estratégias para ‘reerguer’ a instituição de Ensino Superior.

Em matéria publicada na sexta-feira pelo Diário, Paulo Serra destacou que entregaria ao reitor termo de ajuste de conduta que norteará o trabalho da nova reitoria. No documento, serão elencadas ações a serem debatidas nos próximos meses. “Tive reunião na sexta-feira com o prefeito. Ele me deu os quadros, a forma pela qual será trabalhada a reitoria, mas ainda não entregou o documento de ajuste de conduta. Ele (Paulo Serra) disse que vai me dar (o documento) assim que tivermos um diagnóstico oficial”, explicou Milreu.

 

Plano de recuperação depende de situação financeira e de diálogo com equipe

Pós-doutor em Engenharia de Produção pela Unip (Universidade Paulista) e professor titular na FSA e na USCS (Universidade Municipal de São Caetano), Francisco José Santos Milreu terá de apresentar plano de recuperação da FSA (Fundação Santo André), que, desde 2008, enfrenta grave crise administrativa.

Entre as promessas de seu projeto estão a descentralização organizacional, respeito à comunidade (interna e externa), valorização da imagem institucional, estabelecimento de equilíbrio econômico-financeiro, entre outras melhorias.

Questionado sobre a reforma institucional, o professor preferiu manter discrição. “Entramos em processo de transição de equipe. Temos de começar agora, até porque, ainda não tomei posse do cargo. Minha ideia é manter meu projeto inicial, agora preciso saber como está a situação atual. Se eu não souber como está o financeiro, que é a parte mais crítica, não posso pensar em mudança. Temos várias áreas que precisam de atenção. Tenho de conversar com as pessoas de cada departamento e analisar”, disse Milreu.

O docente já procurou a atual reitora, Leila Modanez, para reunião. Além disso, adiantou que deve realizar entrevista com os funcionários de cada área a partir da próxima semana. A ideia é formar o quanto antes comissão a transição.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados