Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 1 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Do lado de cá da telinha

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Após uma semana longe do ‘BBB’, Nayara reflete sobre seu jogo e diz não se sentir rejeitada aqui fora


Vanessa Soares Oliveira

27/02/2018 | 07:00


 Corajosa. É assim que a ex-BBB Nayara de Deus, 33 anos, de Santo André, se autoavalia quando questionada sobre a participação na 18ª edição do Big Brother Brasil, da Rede Globo. A jornalista recebeu a equipe de reportagem do Diário na tarde de ontem, em seu apartamento, no Centro de São Paulo, onde mora de aluguel há oito anos com os dois gatos Mário e Antônia, para um bate-papo sobre o confinamento.

Apesar do pouco tempo dentro da casa mais vigiada do Brasil – ela foi eliminada há uma semana, no quarto paredão –, Nayara garante que a experiência até que durou mais do que imaginava. “Achei que fui longe demais e meus amigos mais próximos dizem o mesmo. Confesso que no terceiro dia já falei: ‘Esse prêmio não vai ser meu’. Então, todo meu exercício, meu esforço, foi para que eu ficasse mais tempo”, explica a comunicadora, que se autointitula como alguém completamente desapegada. Tanto que antes do programa, sequer alimentava redes sociais.

Apesar de ter registrado alto índice no paredão – com 92,69% dos votos, em berlinda tripla com Gleici e Mahmoud –, a andreense não se sentiu rejeitada ao se deparar novamente com o mundo aqui fora. Ela, inclusive, já tem fã-clube “Não avalio o resultado como rejeição e tenho tido muito esse feedback. Concorri com dois personagens muito fortes, que têm torcida grande.”

Ainda não deu tempo de acompanhar mais detalhes do que foi transmitido, mas Nayara não esconde que a afinidade com Lucas – que está no paredão desta noite com Caruso e Diego – é grande, mas ela torce para que Viegas ou Gleice vença o programa. A justificativa é que não gostaria que o prêmio fosse para alguém que tem melhores condições financeiras.

Mesmo assim, jura que em nenhum momento quis levantar ‘bandeiras’ durante a atração, ponto que o apresentador Tiago Leifert bateu muito no discurso de eliminação: “A gente prefere que vocês baixem os escudos. Esse negócio de representatividade não funciona”, disse. Segundo ela, não teve tempo de ter papos mais profundos com os confinados, por isso, sua intenção nunca foi essa.

Entre outras lições aprendidas com o confinamento, Nayara conta que teve a chance de se conhecer melhor. “O que eu trago é que não vou saber me relacionar se for para falar bobeira, se for para ficar rebolando. Não vou conseguir mudar isso. E também não vou ficar em cima do muro, como as pessoas muitas vezes fazem”, acrescenta.

Apesar de nunca ter se imaginado no reality, ela revela que sua grande motivação ao largar tudo para trás e entrar no programa foi a chance de tentar viver com um pouco mais de tranquilidade. “Tenho uma vida independente há 14 anos e, nos últimos dois, está muito difícil me manter. O valor da grana hoje não é mais o mesmo. Fui motivada pelo desejo de tentar dar um upgrade na minha vida e conseguir comprar um apartamento.”

Agora, para o futuro ela pretende aproveitar as portas abertas que a participação no programa trouxeram, mas sem dar muitos detalhes do que está planejando por questões contratuais com a emissora.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;