Fechar
Publicidade

Sábado, 28 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Concessão de aposentadoria por invalidez diminui 49,8% na região

EBC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Número de benefícios cai de 2.277 para 1.143 em 11 anos; perícia mais rigorosa do INSS explica


Flavia Kurotori
Especial para o Diário

23/02/2018 | 07:06


A concessão de aposentadorias por invalidez no Grande ABC caiu 49,8% em 11 anos, passando de 2.277 liberações, em 2007, para 1.143 no ano passado. Segundo especialistas, um dos principais motivos é o maior rigor da perícia ao longo dos últimos tempos. Os dados foram levantados pelo INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) a pedido do Diário.

Embora não haja um ponto específico em que os peritos estejam mais criteriosos, João Badari, advogado previdenciário e sócio do Aith, Badari e Luchin Advogados, afirma que a concessão de benefícios depende muito do entendimento do perito, dado que o tempo de avaliação é curto e superficial. “É preciso levar atestados dos especialistas com os quais o segurado faz acompanhamento, assim como os exames, pois é necessário reforçar a comprovação da incapacidade”, orienta.

Têm direito ao benefício pessoas que possuem incapacidade total e permanente para trabalhar. No entanto, há casos em que é liberado o auxílio-doença em vez da aposentadoria por invalidez. “São muitos os casos de injustiça. Para a pessoa, o prejuízo está nas idas e vindas à agência do INSS para realização de perícias e na queda do valor do salário de benefício, pois o auxílio-doença paga apenas 91% da média salarial, enquanto que a aposentadoria remunera 100% (e sem o fator previdenciário)”, explica Ruslan Stuchi, sócio do escritório Stuchi Advogados.

Na região, Mauá foi o município que apresentou a maior queda: de 371 concessões para 47, redução de 83,3%. Em seguida veio Santo André, cuja liberação caiu de 632 para 149 – corte de 76,4%. Na agência de Ribeirão Pires, que inclui as demandas de Rio Grande da Serra, passou de 122 para 37 (-69,6%); em São Caetano, recuou de 189 para 60 (-68,2%).

As únicas cidades com diminuição abaixo da média do Grande ABC foram São Bernardo e Diadema – redução de 11,9%, de 739 para 651 benefícios, e 11,1%, de 224 para 199, respectivamente. Neste caso, a maior concentração de indústrias eleva as chances de insalubridade e, portanto, de situações que levam à aposentadoria por invalidez.

SUSPENSÃO - Em agosto de 2017, o INSS iniciou o pente-fino nas aposentadorias por invalidez cujo beneficiário estava há mais de dois anos sem perícia. Segundo o Ministério do Desenvolvimento Social, o objetivo é economizar R$ 2,6 bilhões por ano com a suspensão de benefícios fraudulentos.

Com exceção dos casos ilegais, Stuchi destaca que a aposentadoria é direito adquirido e não pode ser suspensa. “Tenho um caso que a pessoa está aposentada por invalidez há oito anos, pois desenvolveu hérnia de disco, e seu estado é crítico. Mas o INSS fez nova perícia e disse que ela estava apta para retornar ao trabalho, mesmo ela não tendo condições”, conta Badari.

Caso isso aconteça, a recomendação é procurar a Justiça. “Se for cortada injustamente pelo processo administrativo, a pessoa pode conseguí-la por meios legais”, recomenda Stuchi. Ainda segundo o advogado, este tipo de caso é crescente.

REFORMA - Com a intervenção militar no Rio de Janeiro, a reforma da Previdência não poderá ser votada neste ano, saindo da pauta do Congresso, dado que propostas de emendas à Constituição não podem tramitar nestas circunstâncias. A votação, no entanto, não é descartada para os próximos anos.

Conforme publicado pelo Diário na semana passada, o medo das mudanças fez com que houvesse corrida pela aposentadoria, o que aumentou a opção pelo benefício por tempo de contribuição em 56% no ano passado, em comparação a 2016 – totalizando 14.696 concessões –, superando a demanda por idade, que cresceu 31,2% (11.784). Enquanto isso, o benefício por invalidez seguiu caindo, 3%, para 1.143 benefícios.

Especialistas lembram, no entanto, que é preciso analisar se vale a pena optar pelo benefício por tempo de serviço mesmo sem ter idade suficiente para conseguir valor maior de aposentadoria, e fazer os cálculos para que o trabalhador não tenha perdas, que são irreversíveis.
 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;