Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Governo do Estado espera vender R$ 1 bi em imóveis

DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Grande ABC possui apenas quatro áreas listadas, uma já à venda, em São Bernardo


Humberto Domiciano
Do Diário do Grande ABC

18/02/2018 | 07:00


O governo do Estado de São Paulo pretende vender imóveis para reforçar o caixa estadual. O objetivo da comercialização das propriedades públicas é obter até R$ 1 bilhão. No Grande ABC, quatro áreas no radar do Palácio dos Bandeirantes.

Na região, de acordo com a lista do Imóveis SP – o fundo imobiliário estadual –, existe um terreno, na Avenida Lucas Nogueira Garcez, no Centro de São Bernardo, que já está à venda. Outras três propriedades estão localizadas em Diadema, na Avenida Presidente Costa e Silva, no bairro Casa Grande; em Santo André, na Estrada João Ducim, no Jardim Jamaica; e em São Bernardo, na Rua Nova Londrina, no bairro Pauliceia. Elas já foram licitadas, mas o governo não informou se foram efetivamente vendidas ou qual a situação atual.

Além disso, o Executivo estadual não destacou se pode aplicar os valores obtidos com a venda nos municípios que sediam as propriedades comercializadas pelo fundo.

De acordo com assessoria do Palácio dos Bandeirantes, nessa primeira oferta ao mercado foram selecionados imóveis com documentação regularizada e que o governo considera que podem ser vendidos com mais facilidade. No estoque há unidades comerciais, residenciais, terrenos, barracões, oficinas e ginásios.

Recentemente o governo realizou processo de seleção para consultoria que fará a gestão do Imóveis SP pelo período de cinco anos. A vencedora do certame foi a Socopa Corretora.

Conforme a gestão do governador Geraldo Alckmin (PSDB), todos os imóveis do fundo pertencem à Secretaria da Fazenda, com diversas situações de origem. “Foram adquiridos pela própria Fazenda ao longo dos anos para atividades que hoje não são mais executadas. Alguns doados por autarquias estaduais ou obtidos em ação em pagamento de dívidas tributárias.”

O governo relata que a lista inclui imóveis obtidos pelo encerramento de órgãos como a Fundap (Fundação do Desenvolvimento Administrativo) e que obtiveram autorização da Assembleia Legislativa para alienação.

O Fundo de Investimento Imobiliário conta com um portfólio de 264 imóveis disponíveis para negociação, de um estoque de mais de 5.000, presentes em todas as regiões do Estado. A Socopa deverá analisar caso a caso e direcionar a melhor opção para cada imóvel. Entre as opções estão venda, aluguel, permuta ou incorporação.

O fundo é avaliado em R$ 972 milhões e a empresa terá 0,2% de cada imóvel vendido – podendo chegar, portanto, a R$ 1,9 milhão, se todos forem negociados. Além disso, a empresa contará com auxilio mensal, que pode variar entre R$ 20 mil e R$ 80 mil.

FEDERAL

A União também realiza processo de comercialização de imóveis. No entanto, segue em ritmo mais lento. No ano passado, 924 imóveis foram avaliados e reavaliados em todo o País pelo Ministério do Planejamento.

Atualmente, as avaliações elevaram o valor desses imóveis em R$ 1,1 bilhão, passando de R$ 11,3 bilhões em dezembro de 2016 para R$ 12,2 bilhões em dezembro de 2017, o que representou um incremento de 9,5% na contabilidade do governo federal.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;