Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Guardião da vida

Nario Barbosa/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Nilton Valentim
Do Diário do Grande ABC

16/02/2018 | 07:45


Da dor veio a ideia que poderia ajudar muitas pessoas. Quando perdeu a amiga Anariá Recchia, vítima de atropelamento nas ruas de São Paulo, em 2016, a médica emergencista Adriana Mallet teve a ideia de criar um aplicativo capaz de auxiliar as pessoas e, ao mesmo tempo, facilitar o trabalho das equipes de socorro. Assim surgiu o 192Smart.

“A maioria dos solicitantes de serviços de urgência tem poucas informações sobre as vítimas e não é raro desconhecerem o endereço da ocorrência. Isso atrasa o atendimento em minutos decisivos em casos de trauma grave”, explica a médica.

O aplicativo, que funciona nos sistemas Android e iOS, pode ser baixado gratuitamente no Google Play e App Store. Ele detecta colisões de forma automática, faz um chamado em viva voz para o serviço de resgate – Samu ou Corpo de Bombeiros – e envia a localização e a ficha médica do usuário.
“Em situações de traumas, falamos nos conceitos de ‘hora de ouro’ e ‘dez minutos de platina’, em referência ao tempo como fator decisivo para evitar a morte e reduzir sequelas”, explica a médica.

O 192Smart foi lançado durante o Maio Amarelo (mês em que são desenvolvidas atividades de conscientização dos periogos do trânsito) de 2017.

Ao baixar o app, o usuário preenche uma ficha com dados médicos básicos, como alergias, tipo sanguíneo, contatos de emergência etc. A partir daí, não precisa ter qualquer outra interação com a tecnologia. O programa roda em segundo plano e entende automaticamente quando o usuário está em movimento.

Além de informar as coordenadas da ocorrência, o aplicativo ainda registra a última velocidade antes da colisão, ajudando os resgatistas a entender a gravidade do acidente e da situação das vítimas. “Nossa intenção é dar à equipe do serviço de resgate as melhores condições possíveis para um atendimento de qualidade em casos graves, ao evitar, por exemplo, que o desconhecimento do endereço atrase a chegada do socorro”, afirma Adriana.

Por meio de uma integração bastante simples, os dados captados são enviados para a plataforma implementada nas centrais de regulação dos serviços de emergência. O aplicativo tem ainda um botão que pode ser acionado se o usuário presenciar uma ocorrência médica de qualquer tipo: além dos acidentes de trânsito, casos como traumas, engasgamentos ou paradas cardiorrespiratórias, por exemplo.  



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;