Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Servidores de Santo André realizam curso de Libras

Nario Barbosa/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Capacitação tem a meta de garantir direitos de moradores surdos no atendimento municipal


Bianca Barbosa
Especial para o Diário

06/02/2018 | 07:00


 “Uma moça surda chegou na recepção e eu não soube como proceder. Costumo olhar para os lábios para entender, imagino que seja uma situação incômoda para eles.” Essa é a afirmação da recepcionista Doralice dos Santos Ribeiro, 53 anos, que trabalha na Prefeitura de Santo André. Para exemplos como esse não ocorrerem mais, começou ontem curso de atendimento inclusivo para os funcionários da Praça de Atendimento, CPETR (Centro Público de Emprego, Trabalho e Renda), Procon e também do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) – que são divididos em cinco postos (Centro, Guarará, Palmares, Santa Teresinha e Parque das Nações).

As aulas vão abordar Libras (Língua Brasileira de Sinais) e situações sobre deficiência física, visual e intelectual, dando suporte aos servidores, que na maioria das vezes não estão aptos a se comunicarem com esse público. As aulas acontecem em dias alternados, pela manhã – das 8h às 12h – e à tarde – das 13h às 17h, e são ministradas no auditório do Semasa, na Vila Bastos. O objetivo é proporcionar melhor atendimento aos deficientes que procuram por serviços no prédio do Executivo.

Segundo o diretor de RH da Secretaria de Inovação e Administração, Nelson Oliveira, a inclusão está mais presente no município a partir de hoje. “Devemos dar atenção a quem mais precisa. Os cursos terão extensão de acordo com a demanda”, afirma. Só no Grande ABC, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 28 mil habitantes possuem deficiência auditiva completa ou grave. O número corresponde a mais da metade da população de Rio Grande da Serra.

A lei 10.436 reconhece a legitimidade da Língua Brasileira de Sinais e, de acordo com o artigo 6º do decreto 5.296/04, deficientes devem ter atendimento prioritário, imediato e tratamento diferenciado por parte do poder público.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;