Fechar
Publicidade

Sábado, 16 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Líder Táxi Aéreo abre capital para sócios estrangeiros


Do Diário do Grande ABC

03/05/2000 | 12:02


A empresa Líder Táxi Aéreo, a mais importante no mercado brasileiro de aviaçao executiva, abrirá seu capital à entrada de um ou mais sócios estrangeiros, informou nesta quarta-feira à imprensa o presidente da companhia, Eduardo de Pereira Vaz.

O executivo disse que a decisao do Conselho de Administraçao da empresa é permitir a venda de até 50% em duas das três principais unidades de negócios da Líder, as de manutençao de aeronaves e atendimento aeroportuário.

Essas duas unidades, disse Pereira Vaz, obtêm aproximadamente 35% do faturamento da empresa. Em 1999, a Líder teve um faturamento líquido de R$ 149,5 milhoes (cerca de US$ 85,4 milhoes).

Na terceira unidade de negócios, a de arrendamento de aeronaves (pequenos avioes e helicópteros), a venda estará limitada a 20%, devido às restriçoes impostas pelo Departamento de Aviaçao Civil (DAC).

Pereira Vaz revelou que a empresa está estudando três propostas concretas de compra de participaçao em açoes, embora os nomes dessas firmas estejam sendo mantidas em sigilo.

O objetivo central destas associaçoes é fortalecer as conexoes da Líder com o exterior, conseguindo novos clientes e facilitando seu acesso ao mercado internacional de capitais, segundo o executivo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Líder Táxi Aéreo abre capital para sócios estrangeiros

Do Diário do Grande ABC

03/05/2000 | 12:02


A empresa Líder Táxi Aéreo, a mais importante no mercado brasileiro de aviaçao executiva, abrirá seu capital à entrada de um ou mais sócios estrangeiros, informou nesta quarta-feira à imprensa o presidente da companhia, Eduardo de Pereira Vaz.

O executivo disse que a decisao do Conselho de Administraçao da empresa é permitir a venda de até 50% em duas das três principais unidades de negócios da Líder, as de manutençao de aeronaves e atendimento aeroportuário.

Essas duas unidades, disse Pereira Vaz, obtêm aproximadamente 35% do faturamento da empresa. Em 1999, a Líder teve um faturamento líquido de R$ 149,5 milhoes (cerca de US$ 85,4 milhoes).

Na terceira unidade de negócios, a de arrendamento de aeronaves (pequenos avioes e helicópteros), a venda estará limitada a 20%, devido às restriçoes impostas pelo Departamento de Aviaçao Civil (DAC).

Pereira Vaz revelou que a empresa está estudando três propostas concretas de compra de participaçao em açoes, embora os nomes dessas firmas estejam sendo mantidas em sigilo.

O objetivo central destas associaçoes é fortalecer as conexoes da Líder com o exterior, conseguindo novos clientes e facilitando seu acesso ao mercado internacional de capitais, segundo o executivo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;