Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Os metodistas descobrem Rudge Ramos

A Faculdade de Teologia da Igreja Metodista foi a primeira instituição em nível superior no Grande ABC...


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

21/05/2009 | 00:00


A Faculdade de Teologia da Igreja Metodista foi a primeira instituição em nível superior no Grande ABC, com campus em Rudge Ramos e construção do seu primeiro pavilhão - o Alfa - antes mesmo da abertura da Via Anchieta. O edifício foi construído entre 1941 e 1942 e é tombado como bem histórico municipal.

Uma das principais atividades da Faculdade de Teologia da Metodista é a realização da Semana Wesleyana, cujo nome homenageia John Wesley, o iniciador do metodismo (século 18). Chegamos à 58ª Semana. Sua programação está no site www.metodista.br/fateo.

A faculdade mantém a revista Mosaico. Em seu próximo número a publicação trará um histórico da Faculdade de Teologia, em artigo da jornalista Suzel Tunes, assistente de Comunicação da entidade. Do artigo faz parte o depoimento do atual reitor, Rui de Souza Josgrilberg. E é desse artigo que extraímos os tópicos que se seguem.

LINHA DO TEMPO

1938 - O 3º Concílio Geral da Igreja, realizado em Juiz de Fora (MG), aprova a unificação das duas instituições teológicas da Igreja Metodista: o Seminário d'O Granbery (inaugurado em 1890, em Juiz de Fora) e a Faculdade de Teologia do Concílio Regional Sul (nascida como escola bíblica do Porto Alegre College, em 1919 e transformada em faculdade em 1930).

1939 - A nova faculdade funciona em Juiz de Fora e transfere-se, no final do ano, para a Rua Cubatão, Vila Mariana, em São Paulo.

junho de 1942 - A Faculdade Metodista instala-se em Rudge Ramos, São Bernardo, em área adquirida do Laboratório Paulista de Biologia.

década de 1950 - O corpo docente continua a ser formado, em sua maioria, por professores de origem ou formação norte-americana.

primeira metade da década de 1960 - Começam a ingressar professores com formação europeia, como Alphonse Zimmermann, Helmut Simon e William Hinson.

RUDGE RAMOS

Segundo o historiador José Gonçalves Salvador, devem-se aos metodistas a instalação do correio e dos telefones, a abertura de ruas e de caminhos, a melhoria nos transportes e outras benfeitorias conquistadas pelo bairro de Rudge Ramos.

DEPOIMENTO

"Havia igrejas que pagavam mensalidade para a construção da faculdade. Algumas financiavam um quarto, as mais pobres ofertavam uma janela. Pronta a faculdade, os quartos dos alunos tinham nomes das igrejas que haviam contribuído para a construção" (Josgrilberg).

REITORES

1938 a 1942 - Paul Eugene Buyers

1942 a 1950 - Walter Harvey Moore

1950 a 1955 - Afonso Romano Filho

1955 a 1962 - Natanael Innocêncio do Nascimento

1963 e 1964 - Otto Gustavo Otto

1969 e 1970 - Reinhard Brose

1978 - Ely Eser Barreto César

1979 - Prócoro Velásquez Filho

1979 e 1980 - Duncan Alexander Reily

1981 a 1982 - Isac Alberto Rodrigues Aço

1983 a 1996 - Rui de Souza Josgrilberg

1997 a 2002 - Clovis Pinto de Castro

2002 até hoje - Rui de Souza Josgrilberg

DIÁRIO HÁ 30 ANOS

Domingo, 20 de maio de 1979

Política - Depois de permanecer por vários anos como um assunto praticamente proibido em todo o País e comentado apenas em círculos intelectuais, a anistia passou a ser discutida e, mais do que isso, reivindicada por todas as camadas da população.

O Comitê Brasileiro pela Anistia, regional do Grande ABC, já tem um levantamento inicial das vítimas da ditadura militar:

* José Barbosa: líder sindical dos metalúrgicos de São Bernardo, exilado na Europa desde 1968;

* Aparecido Faria: da oposição metalúrgica de São Bernardo, também exilado;

* Olavo Hanssen: trabalhador químico, morto em 1970;

* Raimundo Eduardo da Silva: operário metalúrgico de Mauá, morto em 1973;

* Aderbal Coqueiro: metalúrgico de São Bernardo, morto em 1973;

* Francisco Seiko Okama: trabalhador de Mauá, morto em 1973;

* Marquinho (apelido): operário da Pirelli, morto em 1973;

* Wilson Fava: professor, exilado desde 1968.

O comitê pela anistia do Grande ABC era formado por João Batista da Silva (presidente), Sérgio Narciso (secretário), Nelson Rodrigues da Silva, Sérgio Leite da Silva, Antonio Leite da Silva, Esmael Leite da Silva, Mario Humberto Ferreira dos Santos, João José de Albuquerque e Maria Ângela Ludovice Teixeira.

Caminhões - Saab-Scania aponta seu ônibus articulado como "solução inteligente" para a economia de combustível.

Coluna Social - Chiquinho Palmério informa que Edson de Jesus, filho do advogado andreense Miguel de Jesus, receberia na semana seguinte seu espadim do curso de formação de oficiais da Academia de Polícia Militar de Barro Branco.

EM 21 DE MAIO DE...

1959 - Lei 1226 oferece prêmio à mãe de Santo André de prole mais numerosa.

1969 - Diário Oficial do Estado publica autorização para o funcionamento da Escola Auxiliar de Enfermagem Imaculada Conceição, de Mauá.

1969 - Nave espacial Apolo 10 dá entrada em órbita lunar.

1969 - Funcionários do setor de instalação de pneumáticos da Pirelli fundam o Grêmio Pneumáticos. O novo clube promoverá jogos de futebol, futebol de salão e pesca. Como supervisor é eleito Antonio Ferreira; na Secretaria, Ademar Bertoldo, Osvaldo Suner e Ari Novelli.

HOJE

Dia da Língua Nacional.

SANTOS DO DIA

Benvenuto, Catarina de Gênova, Cristóforo Magalhães, Hospício, Pedro Aguilar Santos, Sinésio e Valente.

História

O Centro Sérgio Buarque de Holanda, de documentação e memória política, realiza hoje, às 19h, mais um debate dentro da série Ventilando ideias, circulando livros. Participantes: Lúcia Rosa, artista plástica, idealizadora do projeto Dulcinéia Catadora; José Castilho Marques Neto, presidente da Fundação Editora Unesp; e Sérgio Vaz, poeta, fundador da Cooperifa.

Local: auditório da Fundação Perseu Abramo; endereço: Rua Francisco Cruz, 234, Vila Mariana, São Paulo. Inscrições: 5571-4299 ramais 124 e 125.

O Centro Sérgio Buarque de Holanda, da Fundação Perseu Abramo, criou um espaço de discussão para se aproximar de pesquisadores e pensadores da história recente do País.

Crônica do Guido

Texto: Guido Fidelis

Nenhuma conquista chega com a aragem da manhã quando se abre a janela para contemplar o alvorecer. A vitória depende dos ideais, do esforço, da luta ferrenha e do desejo de realizar pela força da perseverança e do trabalho.

Sonhe e transforme o sonho na realidade. Basta querer, ir em frente, sem medo. Basta confiança e o desejo de realizar.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;