Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 24 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Consórcio avalia contratar projetos da Agência de Desenvolvimento

Divulgação/Consórcio Intermunicipal  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Colegiado fala em chamamento público como saída para manutenção de órgão de fomento


Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

10/01/2018 | 07:00


O Consórcio Intermunicipal do Grande ABC estuda contratar projetos específicos da Agência de Desenvolvimento Econômico como forma de voltar com o auxílio do subsídio ao órgão, que funciona como fomentador da economia da região. Presidente do colegiado, o prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), anunciou que a ideia foi acordada ontem, durante a primeira reunião entre os chefes dos Executivos. Apenas Atila Jacomussi (PSB), de Mauá, não estava presente.

Morando explicou que a contratação seria feita por meio de chamamento público, em que a Agência se compromete a habilitar-se e, selecionada, obteria as verbas como pagamento aos projetos. Segundo o tucano, essa foi uma alternativa encontrada para “dar sobrevivência (financeira) para a Agência”, já que o colegiado cessou há um ano os repasses ao órgão depois de o TCE (Tribunal de Contas do Estado) alertar para irregularidades no formato jurídico das transferências.

“Isso já foi feito com outros entes no Consórcio e a gente poderia resolver o problema, ratificando aquilo que já falei: o Consórcio tem todo o interesse em subsidiar a Agência”, explicou o tucano, que no fim do ano passado já havia afirmado que não era o desejo do Consórcio “extinguir a Agência por falta de dinheiro”.

Além disso, o presidente do Consórcio descartou a possibilidade de o colegiado de prefeitos absorver a Agência, proposta do vice-presidente da entidade econômica da região e reitor da USCS (Universidade Municipal de São Caetano), Marcos Bassi.

Se por um lado Morando cravou a ideia e, inclusive, projetou ver o impasse solucionado ainda “dentro de janeiro”, por outro o secretário executivo do Consórcio, Fabio Palacio (PR), ponderou que a alternativa encontrada ainda está em estudo e que ainda será debatida entre os setores jurídicos do Consórcio e da Agência. “É o momento de os (departamentos) jurídicos sentarem e decidirem o caminho. Essa é uma das possibilidades e a mais concreta que a gente percebe que é possível”, disse.

Já Morando antecipou que, para isso se concretizar, só depende da aprovação do presidente do órgão, o prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), e da consequente publicação do chamamento.

A manutenção da Agência provém de verbas do Consórcio – que representava 49% do total da receita – e de repasses de entidades do setor privado da região. Em janeiro de 2017, assim que tomou posse como presidente do colegiado, Morando cortou as transferências ao órgão depois de o TCE questionar o fato de o aporte custear exclusivamente folha de pagamento dos funcionários da Agência, e não projetos, além de alertar para possível punição aos agentes públicos.

Em carta pública divulgada em dezembro, diversos sindicatos que contribuem no custeio da Agência criticaram a “longa demora em solucionar esta situação” e afirmaram no documento que a indefinição levaria ao “completo esvaziamento” do órgão. 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;