Fechar
Publicidade

Sábado, 21 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Obras dificultam a vida de usuários que circulam pela Via Anchieta

Celso Luiz  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Interdição de saídas e ausência de sinalização viária em trechos de São Bernardo geram transtornos


Daniel Macário
Do Diário do Grande ABC

29/12/2017 | 07:00


 A vida de motoristas que trafegam diariamente pela Via Anchieta não está fácil. Prejudicados por interdições promovidas pela Ecovias – concessionária responsável pela rodovia – para a construção de pista marginal que facilitará o acesso a bairros de São Bernardo, usuários relatam transtornos diários com a ausência de sinalização adequada sobre as alterações viárias promovidas na estrada que dá acesso ao Litoral paulista.

Iniciadas no mês passado, as intervenções ocorrem de maneira simultânea entre o km 18 e o km 23 da Via Anchieta, no sentido São Paulo. No trecho, no entanto, faltam placas e avisos sobre interdições pontuais de acessos e saídas, o que pode, inclusive, provocar acidentes.

Na alça localizada na saída do km 22 que dá acesso aos bairros Assunção e Alvarenga, por exemplo, o local foi interditado sem qualquer aviso para usuários sobre novas rotas a serem utilizadas. “O certo seria ter colocado avisos de quais rotas devemos seguir, mas só vi mesmo placa de interdição, o que não ajuda em nada e nos deixa confusos”, relata o químico Diego Santos, 30 anos.

Quem acessa o trecho e deseja seguir para o Centro de São Bernardo ou para a Avenida João Firmino é obrigado a andar por mais quatro quilômetros até a saída do km 18, no bairro Piraporinha. Porém, no trecho em obras, nenhuma placa orienta sobre a rota.

“A única placa que tem aqui diz que devemos seguir até a próxima saída, mas quem não conhece a cidade sequer sabe qual é”, enfatiza o mecânico Patrício Ferreira, 34.

Para agravar a situação, a ausência de sinalização tem gerado tráfego intenso da rodovia. No km 18, onde uma faixa foi interditada, motoristas relatam congestionamento durante alguns dias da semana. “Sempre foi ruim, mas agora, com as obras, piorou. Com o fechamento dos acessos, as ruas do Centro têm ficado um caos”, diz a vendedora Vânia Lagares, 52.

Na tentativa de amenizar os danos causados aos motoristas que acessam a cidade, representantes da Prefeitura de São Bernardo solicitaram, nesta semana, reparo imediato das sinalizações na rodovia. O objetivo é que até terça-feira todos os acessos interditados tenham placas com aviso aos motoristas sobre as mudanças viárias. A administração municipal também deseja ser comunicada antecipadamente sobre as intervenções. “Caso isso não seja cumprido iremos acionar judicialmente a Ecovias para paralisar as obras”, afirma Delson José Amador, secretário de Transportes e Vias Públicas de São Bernardo. “Sabemos da importância das obras, mas não vamos deixar de priorizar a atenção aos motoristas”, acrescenta.

Segundo a Ecovias, no entanto, os usuários têm sido informados sobre as intervenções por meio de painéis de mensagem variável e placas de orientações sobre os bloqueios e acessos alternativos. Além disso, a concessionária tem informado os motoristas sobre os bloqueios e as opções de acessos por meio de comunicados enviados à imprensa, publicações no site oficial e no seu perfil no Twitter, justifica.

 

Ecovias é multada em R$ 391 mil por irregularidades na Imigrantes

 

A Artesp (Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Transporte do Estado de São Paulo) iniciou ontem processo de penalidade para aplicação de multa de até R$ 391 mil à concessionária Ecovias, devido a irregularidades verificadas na Rodovia dos Imigrantes, em trecho correspondente a municípios do Grande ABC e Litoral. Segundo a agência, a penalidade refere-se ao descumprimento de prazo contratual para o reparo de problemas estruturais encontrados na rodovia, em vistoria realizada pela estatal no início do ano.

De um total de 78 problemas constatados pela Artesp, em dez não foram feitos reparos no prazo estipulado em contrato. Além disso, nesta semana, durante blitz realizada pela agência, foram encontrados outros problemas estruturais na rodovia relacionados a drenagem, falta de limpeza e sinalização vertical (placas).

Segundo a Ecovias, os problemas citados pela vistoria “não representam riscos aos usuários”. A concessionária disse ainda ter cumprido 90% das situações apontadas pela Artesp.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados