Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Santo André dá início a 2018 com exames cardiológicos

Divulgação/Hospital Brasil  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Elenco é submetido à bateria de testes antes de encarar maratona durante o Paulistão


Dérek Bittencourt
Diário do Grande ABC

17/12/2017 | 07:00


O Paulistão-2018 começou oficialmente ontem para o Santo André. Pela manhã, a maior parte do elenco esteve no Hospital Brasil e foi submetida a bateria de exames cardiológicos. As exceções foram o volante Adriano e o meia Joãozinho, que só chegam à cidade amanhã.

Amparados por aparelhos com a mais alta tecnologia e por profissionais gabaritados, os jogadores exaltaram os cuidados essenciais nesta fase, que marca o início do projeto ramalhino, ainda mais para um campeonato de tiro curto como o Paulistão, com jogos a cada três dias.

“Ficamos felizes em saber que o Santo André tem uma estrutura dessas. Assim, podemos trabalhar tranquilos, fazer a nossa parte dentro de campo, sabendo que fora tem pessoas capacitadas e à disposição se precisarmos”, disse o zagueiro Domingos, que participou de coletiva ao lado do cardiologista e coordenador da Cardiologia do hospital, Flávio Borelli; do técnico Sérgio Soares; do presidente Sidney Riquetto; do médico do Ramalhão Fabio Novi; e do atacante Lincom.

Com diversas passagens pelo Ramalhão desde quando ainda era jogador, o técnico Sérgio Soares foi outro que elogiou este passo inicial do time. “Estou no Santo André (entre indas e vindas) desde 2001 e é a primeira vez que vejo começar um trabalho nesse nível. Em um campeonato de tiro curto são necessários estes cuidados. A gente vê que o clube está em período de evolução, de crescimento da sua estrutura”, declarou o treinador, que revelou a criação de um departamento de fisiologia.

Os atletas, que já haviam sido submetidos a eletrocardiograma, passaram ontem por avaliação clínica, ecocardiograma bidimensional em cores e teste ergométrico. "Já tivemos o desprazer de ver alguns jogadores passarem mal e até irem a óbito no campo de futebol. Hoje a gente tem capacidade de dar todas as informações e avaliar precocemente o risco cardiovascular que um atleta possui. Temos maneiras de minimizar ou evitar possibilidade de algum evento fatal”, afirmou Borelli.

De acordo com o médico Fabio Novi, os jogadores andreenses tiveram bom desempenho nos testes de ontem. “O grupo foi bem avaliado, e em um centro de excelência, o que traz segurança para nós em colocar o jogador para jogar, dizer que está bem e apto. Isso é muito importante”, comentou.

Uniforme dois para próximo ano será alusivo ao da década de 1980

Ela quase passou desapercebida, mas de surpresa lá estava: a segunda camisa do Santo André para 2018. Com finas listras brancas na vertical, remete ao modelo utilizado nos anos 1980, item e tanto aos saudosistas. “Para puxar o passado, lembrar da história vencedora do clube”, disse o vice de futebol, Emerson Livolis.

Além do patrocínio do Hospital Brasil, o Ramalhão vai expor em seu uniforme as marcas do Auto Shopping Global, Blue Tree Towers e Prefeitura. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Santo André dá início a 2018 com exames cardiológicos

Elenco é submetido à bateria de testes antes de encarar maratona durante o Paulistão

Dérek Bittencourt
Diário do Grande ABC

17/12/2017 | 07:00


O Paulistão-2018 começou oficialmente ontem para o Santo André. Pela manhã, a maior parte do elenco esteve no Hospital Brasil e foi submetida a bateria de exames cardiológicos. As exceções foram o volante Adriano e o meia Joãozinho, que só chegam à cidade amanhã.

Amparados por aparelhos com a mais alta tecnologia e por profissionais gabaritados, os jogadores exaltaram os cuidados essenciais nesta fase, que marca o início do projeto ramalhino, ainda mais para um campeonato de tiro curto como o Paulistão, com jogos a cada três dias.

“Ficamos felizes em saber que o Santo André tem uma estrutura dessas. Assim, podemos trabalhar tranquilos, fazer a nossa parte dentro de campo, sabendo que fora tem pessoas capacitadas e à disposição se precisarmos”, disse o zagueiro Domingos, que participou de coletiva ao lado do cardiologista e coordenador da Cardiologia do hospital, Flávio Borelli; do técnico Sérgio Soares; do presidente Sidney Riquetto; do médico do Ramalhão Fabio Novi; e do atacante Lincom.

Com diversas passagens pelo Ramalhão desde quando ainda era jogador, o técnico Sérgio Soares foi outro que elogiou este passo inicial do time. “Estou no Santo André (entre indas e vindas) desde 2001 e é a primeira vez que vejo começar um trabalho nesse nível. Em um campeonato de tiro curto são necessários estes cuidados. A gente vê que o clube está em período de evolução, de crescimento da sua estrutura”, declarou o treinador, que revelou a criação de um departamento de fisiologia.

Os atletas, que já haviam sido submetidos a eletrocardiograma, passaram ontem por avaliação clínica, ecocardiograma bidimensional em cores e teste ergométrico. "Já tivemos o desprazer de ver alguns jogadores passarem mal e até irem a óbito no campo de futebol. Hoje a gente tem capacidade de dar todas as informações e avaliar precocemente o risco cardiovascular que um atleta possui. Temos maneiras de minimizar ou evitar possibilidade de algum evento fatal”, afirmou Borelli.

De acordo com o médico Fabio Novi, os jogadores andreenses tiveram bom desempenho nos testes de ontem. “O grupo foi bem avaliado, e em um centro de excelência, o que traz segurança para nós em colocar o jogador para jogar, dizer que está bem e apto. Isso é muito importante”, comentou.

Uniforme dois para próximo ano será alusivo ao da década de 1980

Ela quase passou desapercebida, mas de surpresa lá estava: a segunda camisa do Santo André para 2018. Com finas listras brancas na vertical, remete ao modelo utilizado nos anos 1980, item e tanto aos saudosistas. “Para puxar o passado, lembrar da história vencedora do clube”, disse o vice de futebol, Emerson Livolis.

Além do patrocínio do Hospital Brasil, o Ramalhão vai expor em seu uniforme as marcas do Auto Shopping Global, Blue Tree Towers e Prefeitura. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;