Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 9 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Sérgio Soares finaliza curso na CBF

Arquivo pessoal  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Anderson Fattori
Diário do Grande ABC

17/12/2017 | 07:00


O técnico Sérgio Soares aproveitou as últimas semanas sem atividades no Santo André para realizar curso direcionado aos treinadores brasileiros na CBF Academy. Ele passou dez dias no CT da Seleção Brasileira, na Granja Comary, em Teresópolis, se atualizando e trocando experiências com diversos técnicos, entre eles Péricles Chamusca, com quem formou a parceria que deu ao Ramalhão o título da Copa do Brasil de 2004.

“Esse é o meu terceiro ano de curso. Concluí a Licença A e agora estou fazendo a Pro, que termina em 2018. É um curso de capacitação. Quem não tiver a Licença A não pode dirigir time nas séries A e B (do Brasileiro) a partir de 2019, e quem não tiver a Pro não pode trabalhar na Libertadores a partir de 2021. É troca de experiência entre nós treinadores e ganho de conhecimento”, explicou Sérgio Soares, que retornou na sexta-feira.

No total, 44 treinadores que trabalham em diversas divisões do futebol brasileiro e do Exterior participaram dos módulos A e Pro. Além de Sérgio Soares e Péricles Chamusca, também estavam no Rio de Janeiro nomes como o do atual campeão brasileiro Fábio Carille (que além de aluno realizou uma das palestras), Rogério Ceni, Jair Ventura, Zé Ricardo, Roger Machado, Toninho Cecílio, Vagner Mancini, Alexandre Gallo, Toninho Cerezo, Eduardo Baptista, Adílson Batista, Sillas, Rogério Micale, Vinícius Eutrópio entre muitos outros. Sérgio Soares garante que boa parte do conhecimento que adquiriu no Rio de Janeiro vai colocar em prática já no comando do Santo André durante o Campeonato Paulista.

“É um curso muito complexo. Estivemos falando do Campeonato Brasileiro, com palestras com analistas de desempenho, tivemos profissionais do Internacional, da Seleção Brasileira, um holandês que é responsável pelas aulas da licença Pro na Uefa. Enfim, pegamos várias situações de jogo, tivemos aulas práticas, que são realizadas nos gramados da Granja Comary, e também as teóricas, em salas de aula”, ressaltou.

REENCONTRO - Sérgio Soares assumiu que estar ao lado de Péricles Chamusca lhe remeteu a bons momentos que viveu na carreira. Foi ele quem lhe deu a oportunidade de trabalhar na comissão técnica do Ramalhão quando encerrou a carreira, em 2004, em dobradinha que levou o Ramalhão ao título da Copa do Brasil.

“Reencontrar o Chamusca é sempre uma satisfação. É uma figura importante na minha transição de atleta para treinador, está envolvido na minha primeira oportunidade. Tenho maior respeito e consideração por ele, conversamos bastante sobre novas formas de jogar e falar de futebol. É um prazer imenso compartilhar com Chamusca esses dez dias, trocar informações”, comentou Soares.

Chamusca, 52 anos, está sem clube desde 2016, quando deixou o comando do Al Shaab, dos Emirados Árabes. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sérgio Soares finaliza curso na CBF

Anderson Fattori
Diário do Grande ABC

17/12/2017 | 07:00


O técnico Sérgio Soares aproveitou as últimas semanas sem atividades no Santo André para realizar curso direcionado aos treinadores brasileiros na CBF Academy. Ele passou dez dias no CT da Seleção Brasileira, na Granja Comary, em Teresópolis, se atualizando e trocando experiências com diversos técnicos, entre eles Péricles Chamusca, com quem formou a parceria que deu ao Ramalhão o título da Copa do Brasil de 2004.

“Esse é o meu terceiro ano de curso. Concluí a Licença A e agora estou fazendo a Pro, que termina em 2018. É um curso de capacitação. Quem não tiver a Licença A não pode dirigir time nas séries A e B (do Brasileiro) a partir de 2019, e quem não tiver a Pro não pode trabalhar na Libertadores a partir de 2021. É troca de experiência entre nós treinadores e ganho de conhecimento”, explicou Sérgio Soares, que retornou na sexta-feira.

No total, 44 treinadores que trabalham em diversas divisões do futebol brasileiro e do Exterior participaram dos módulos A e Pro. Além de Sérgio Soares e Péricles Chamusca, também estavam no Rio de Janeiro nomes como o do atual campeão brasileiro Fábio Carille (que além de aluno realizou uma das palestras), Rogério Ceni, Jair Ventura, Zé Ricardo, Roger Machado, Toninho Cecílio, Vagner Mancini, Alexandre Gallo, Toninho Cerezo, Eduardo Baptista, Adílson Batista, Sillas, Rogério Micale, Vinícius Eutrópio entre muitos outros. Sérgio Soares garante que boa parte do conhecimento que adquiriu no Rio de Janeiro vai colocar em prática já no comando do Santo André durante o Campeonato Paulista.

“É um curso muito complexo. Estivemos falando do Campeonato Brasileiro, com palestras com analistas de desempenho, tivemos profissionais do Internacional, da Seleção Brasileira, um holandês que é responsável pelas aulas da licença Pro na Uefa. Enfim, pegamos várias situações de jogo, tivemos aulas práticas, que são realizadas nos gramados da Granja Comary, e também as teóricas, em salas de aula”, ressaltou.

REENCONTRO - Sérgio Soares assumiu que estar ao lado de Péricles Chamusca lhe remeteu a bons momentos que viveu na carreira. Foi ele quem lhe deu a oportunidade de trabalhar na comissão técnica do Ramalhão quando encerrou a carreira, em 2004, em dobradinha que levou o Ramalhão ao título da Copa do Brasil.

“Reencontrar o Chamusca é sempre uma satisfação. É uma figura importante na minha transição de atleta para treinador, está envolvido na minha primeira oportunidade. Tenho maior respeito e consideração por ele, conversamos bastante sobre novas formas de jogar e falar de futebol. É um prazer imenso compartilhar com Chamusca esses dez dias, trocar informações”, comentou Soares.

Chamusca, 52 anos, está sem clube desde 2016, quando deixou o comando do Al Shaab, dos Emirados Árabes. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;