Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 29 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Santo André vai investir R$ 230 milhões em moradia

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Meta é construir 2.036 unidades até o fim de 2019, além de entregar 1.030 residências já em obras


Bia Moço
Especial para o Diário

15/12/2017 | 07:00


 Com a meta de diminuir o deficit habitacional, estimado hoje em 32 mil imóveis, a Prefeitura de Santo André anunciou, na tarde de ontem, a entrega de 3.066 unidades até o fim de 2019. Destas, 1.030 correspondem a apartamentos cujas obras serão retomadas, com conclusão prevista para abril de 2018. Já as 2.036 restantes se referem a moradias que serão construídas a partir do segundo semestre do próximo ano e finalizadas até dezembro de 2019. O conjunto de obras – 11 no total – demandará investimento de R$ 230 milhões, oriundos do governo federal por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida.

Segundo a administração, para os novos projetos já foram lançados quatro editais de chamamento para definir as empresas que construirão as 2.036 unidades e, até o fim do mês, outros quatro devem ser abertos. A previsão é a de que as construções demandem de 12 a 15 meses de obras. Os projetos beneficiam moradores de núcleos localizados no Parque das Nações, Jardim Cipreste, Camilópolis, Homero Thon, Jardim Stella, Jardim Jamaica, Cidade São Jorge e Vila João Ramalho.

Secretário de Habitação e Regularização Fundiária, Fernando Marangoni destacou que o modelo das construções é pioneiro no Grande ABC. “Os chamamentos de faixa 1,5 lançados agora são inéditos na Região Metropolitana, o primeiro modelo em terreno público”, disse o secretário. Por meio do chamamento, empresas apresentam seus projetos de construção, que são selecionados por critérios de pontuação.

Já as 1.030 unidades cujas obras foram iniciadas na gestão anterior – do prefeito Carlos Grana (PT) – estão divididas entre os conjuntos Novo Pinheirinho (410 moradias), Nova Conquista (120) e Santo Dias (500). A expectativa é a de que as construções sejam finalizadas em fevereiro, março e abril de 2018, respectivamente.

No caso do Novo Pinheirinho, as 410 unidades com entrega confirmada são de responsabilidade do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto), após acordo firmado entre gestão municipal e o movimento em 2014. O empreendimento, no Jardim do Estádio, prevê ainda a entrega de 500 apartamentos para famílias cadastradas no aluguel social, estes sem data prevista.

O conjunto Nova Conquista estava com intervenções paralisadas há pelo menos dois anos por falta de verba. A obra, de responsabilidade da ONG Amova, deveria ter sido concluída em 2015. Já no caso do conjunto Santo Dias, também no Jardim do Estádio, será possível acelerar o andamento dos trabalhos, que estão em ritmo lento desde o início do ano.

O prefeito Paulo Serra (PSDB) garantiu que as obras serão entregues. “Não vamos enganar ninguém. O que está sendo anunciado está certo, cravado e garantido”, ressaltou.

 

Prefeitura regularizou 4.767 domicílios

Problemas com a regularização fundiária já não são novidade em Santo André, porém a Prefeitura anunciou que vai fechar o ano com 4.767 domicílios com documentação em dia. O investimento municipal para entrega desses títulos até o primeiro semestre de 2018 foi de R$ 5 milhões.

No dia 3, a conquista foi a entrega das primeiras 202 escrituras do conjunto habitacional José Nancy, no Parque Erasmo Assunção, o que simbolizou fim de espera de 30 anos para algumas famílias.

O principal entrave na cidade ainda é no Centreville. O transtorno, que já dura 35 anos, está prestes a chegar ao fim. A novidade é que o processo está no cartório, e, assim que liberado, permitirá a entrega das escrituras de 1.300 famílias.

De acordo com a Prefeitura, mais 12,3 mil domicílios precisam ser regularizados no município. Neste caso, o processo deverá ser concluído até 2020, investimento de R$ 23 milhões.

URBANIZAÇÃO

Outra conquista destacada foi a liberação, pela Caixa Econômica Federal, de verba para finalização das obras dos núcleos Santa Cristina, Cassaquera, Pedro Américo, Jardim Santo André e Homero Thon, com R$ 40 milhões investidos



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;