Fechar
Publicidade

Domingo, 15 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Casas operárias, sim senhor...


Ademir Medici

05/11/2017 | 07:00


 “Décio Deodoro Martins nasceu no número 397 da Avenida Portugal, em Santo André, numa das casas da vila operária da Kowarick. Vila que ele retratou em tela.”

Cf. coluna Memória, Diário, 28-1-1991.

“Eu e a Cláudia tentamos identificar as casas ao fundo e localizar as ruas, mas não conseguimos nada além do que sua reportagem mostrou. As casas da Kowarick, onde estive, eram muito despojadas e pequenas, me parece diferentes dessas da foto. Além disso, as casas estão numa espécie de promontório, acima da rua. Juro que não me situo.”

Cf. Euclydes Rocco Junior, arquiteto.

 

As dúvidas dos amigos Rocco e Maria Claudia Ferreira permitem uma nova retrospectiva. Afinal, são 30 anos de Memória aqui no Diário, e até para nós é difícil, num lampejo, recordar tudo o que publicamos. Daí revivermos as imagens que nos levam a dois amigos queridos: Décio Deodoro Martins e João Colovatti.

Colovatti, o grande repórter-fotográfico do Grande ABC de todos os tempos, é o autor das fotos e reproduções de hoje.

Décio Martins foi quem nos contou esta história e nos legou os desenhos que envolvem as casas operárias de uma das primeiras indústrias de Santo André, a Kowarick, que produzia um tecido chamado casimira. Uma grande fábrica. Que construiu algumas vilas operárias aos seus trabalhadores, inclusive esta da Avenida Portugal.

O relato do Décio Martins e seus desenhos ocuparam três colunas Memória em 1991. Décio não apenas desenhou a fachada das casas como também o quintal de uma delas, padrão para todas as demais.

Disse Martins:

A vila operária da Kowarick foi construída nos anos 1920.

Eram construções sólidas, erguidas à esquerda da Avenida Portugal, a partir do espaço depois ocupado pelo prédio da CTBC (Companhia Telefônica da Borda do Campo), sentido Centro-bairro.

 

NOTAS

João Martins, pai do Décio, trabalhou 30 anos na Kowarick. Sua família morou muitos anos numa das casas da empresa.

Dona Josephina Polo Martins, mãe do Décio, relacionou os nomes de chefes de famílias que moraram nestas casas.

Não vamos repetir tudo o que escrevemos nas três colunas de 1991. Afinal, agora temos Facebook (obrigado, Cecília; obrigado, Juliana). Vamos pedir a elas que reproduzam as colunas de 1991 no Face. Por ora deixamos as fotos de hoje. São riquezas do acervo Memória.

 

Diário há 30 anos

Quinta-feira, 5 de novembro de 1987 – ano 30, edição 6591

Manchete – Economistas dos Estados Unidos criticam o acordo de renegociação da dívida com o Brasil

Diadema – Prefeito Gilson Menezes inicia greve de fome até que a usina de reciclagem de lixo em Diadema esteja definitivamente autorizada pelo governo do Estado.

Gilson levou colchões e se instalou no saguão da Assembleia Legislativa com mulher e filhos. E ganhou os holofotes da imprensa.

A Palavra do Leitor – O arquiteto João Casagrandi Filho, a professora Linda Builic e o professor Tupã Gomes Corrêa posicionam-se favoráveis à preservação do Cine-Teatro Carlos Gomes, em Santo André.

 

Em 5 de novembro de...

1907 – Criado o Distrito de Paz de Paranapiacaba, em São Bernardo, hoje Santo André. Foi o terceiro distrito do Grande ABC, depois da sede São Bernardo (1812) e Ribeirão Pires (1896, com instalação em 1897).

1917 – O Brasil na guerra. Do noticiário do Estadão: as perdas sofridas pela Marinha mercante brasileira.

“O Brasil não pode receber sem emoção a notícia de que patrícios nossos foram covardemente assassinados e não pode deixar de sentir um justo orgulho pela bravura da nossa Marinha mercante.”

De um artigo da Gazeta de Notícias, do Rio de Janeiro. O jornal referia-se ao torpedeamento de dois navios brasileiros, o Acary e o Guaiba.

 

Municípios Brasileiros

Celebram seus aniversários em 5 de novembro:

Em São Paulo, Itapetininga, Espírito Santo do Turvo, Pilar do Sul, Guatapará e Rosana.

Em Goiás, Anhanguera, Hidrolândia e Ivolândia

No Rio Grande do Sul, Barros Cassal e Sertão

Na Paraíba, Bom Jesus e Santana de Mangueira

No Rio de Janeiro, Cambuci e Porto Real

Em Minas Gerais, Carmo do Rio Claro, Manhuaçu, Santa Margarida e São Francisco

No Acre, Marechal Thaumaturgo

No Paraná, Roncador

No Espírito Santo, São José do Calçado

Na Bahia, Tremedal

Fonte: IBGE

 

Hoje

Dia Nacional da Cultura e da Ciência, em alusão a 5 de novembro de 1849, data do nascimento de Rui Barbosa

Dia do Técnico de Eletrônica, instituído pela lei estadual paulista 4265, do governador Montoro

Dia do Radioamador

Dia do Técnico Agrícola

 

Santos do Dia

Isabel e Zacarias

Bertila

Galácio

Guido Maria Conforti

Mariano de La Mata Aparício



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Casas operárias, sim senhor...

Ademir Medici

05/11/2017 | 07:00


 “Décio Deodoro Martins nasceu no número 397 da Avenida Portugal, em Santo André, numa das casas da vila operária da Kowarick. Vila que ele retratou em tela.”

Cf. coluna Memória, Diário, 28-1-1991.

“Eu e a Cláudia tentamos identificar as casas ao fundo e localizar as ruas, mas não conseguimos nada além do que sua reportagem mostrou. As casas da Kowarick, onde estive, eram muito despojadas e pequenas, me parece diferentes dessas da foto. Além disso, as casas estão numa espécie de promontório, acima da rua. Juro que não me situo.”

Cf. Euclydes Rocco Junior, arquiteto.

 

As dúvidas dos amigos Rocco e Maria Claudia Ferreira permitem uma nova retrospectiva. Afinal, são 30 anos de Memória aqui no Diário, e até para nós é difícil, num lampejo, recordar tudo o que publicamos. Daí revivermos as imagens que nos levam a dois amigos queridos: Décio Deodoro Martins e João Colovatti.

Colovatti, o grande repórter-fotográfico do Grande ABC de todos os tempos, é o autor das fotos e reproduções de hoje.

Décio Martins foi quem nos contou esta história e nos legou os desenhos que envolvem as casas operárias de uma das primeiras indústrias de Santo André, a Kowarick, que produzia um tecido chamado casimira. Uma grande fábrica. Que construiu algumas vilas operárias aos seus trabalhadores, inclusive esta da Avenida Portugal.

O relato do Décio Martins e seus desenhos ocuparam três colunas Memória em 1991. Décio não apenas desenhou a fachada das casas como também o quintal de uma delas, padrão para todas as demais.

Disse Martins:

A vila operária da Kowarick foi construída nos anos 1920.

Eram construções sólidas, erguidas à esquerda da Avenida Portugal, a partir do espaço depois ocupado pelo prédio da CTBC (Companhia Telefônica da Borda do Campo), sentido Centro-bairro.

 

NOTAS

João Martins, pai do Décio, trabalhou 30 anos na Kowarick. Sua família morou muitos anos numa das casas da empresa.

Dona Josephina Polo Martins, mãe do Décio, relacionou os nomes de chefes de famílias que moraram nestas casas.

Não vamos repetir tudo o que escrevemos nas três colunas de 1991. Afinal, agora temos Facebook (obrigado, Cecília; obrigado, Juliana). Vamos pedir a elas que reproduzam as colunas de 1991 no Face. Por ora deixamos as fotos de hoje. São riquezas do acervo Memória.

 

Diário há 30 anos

Quinta-feira, 5 de novembro de 1987 – ano 30, edição 6591

Manchete – Economistas dos Estados Unidos criticam o acordo de renegociação da dívida com o Brasil

Diadema – Prefeito Gilson Menezes inicia greve de fome até que a usina de reciclagem de lixo em Diadema esteja definitivamente autorizada pelo governo do Estado.

Gilson levou colchões e se instalou no saguão da Assembleia Legislativa com mulher e filhos. E ganhou os holofotes da imprensa.

A Palavra do Leitor – O arquiteto João Casagrandi Filho, a professora Linda Builic e o professor Tupã Gomes Corrêa posicionam-se favoráveis à preservação do Cine-Teatro Carlos Gomes, em Santo André.

 

Em 5 de novembro de...

1907 – Criado o Distrito de Paz de Paranapiacaba, em São Bernardo, hoje Santo André. Foi o terceiro distrito do Grande ABC, depois da sede São Bernardo (1812) e Ribeirão Pires (1896, com instalação em 1897).

1917 – O Brasil na guerra. Do noticiário do Estadão: as perdas sofridas pela Marinha mercante brasileira.

“O Brasil não pode receber sem emoção a notícia de que patrícios nossos foram covardemente assassinados e não pode deixar de sentir um justo orgulho pela bravura da nossa Marinha mercante.”

De um artigo da Gazeta de Notícias, do Rio de Janeiro. O jornal referia-se ao torpedeamento de dois navios brasileiros, o Acary e o Guaiba.

 

Municípios Brasileiros

Celebram seus aniversários em 5 de novembro:

Em São Paulo, Itapetininga, Espírito Santo do Turvo, Pilar do Sul, Guatapará e Rosana.

Em Goiás, Anhanguera, Hidrolândia e Ivolândia

No Rio Grande do Sul, Barros Cassal e Sertão

Na Paraíba, Bom Jesus e Santana de Mangueira

No Rio de Janeiro, Cambuci e Porto Real

Em Minas Gerais, Carmo do Rio Claro, Manhuaçu, Santa Margarida e São Francisco

No Acre, Marechal Thaumaturgo

No Paraná, Roncador

No Espírito Santo, São José do Calçado

Na Bahia, Tremedal

Fonte: IBGE

 

Hoje

Dia Nacional da Cultura e da Ciência, em alusão a 5 de novembro de 1849, data do nascimento de Rui Barbosa

Dia do Técnico de Eletrônica, instituído pela lei estadual paulista 4265, do governador Montoro

Dia do Radioamador

Dia do Técnico Agrícola

 

Santos do Dia

Isabel e Zacarias

Bertila

Galácio

Guido Maria Conforti

Mariano de La Mata Aparício

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;