Fechar
Publicidade

Sábado, 17 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Gianlucca consegue recurso para custear primeiro ano de tratamento

Nario Barbosa/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Marília Montich
Do Diário OnLine

22/10/2017 | 11:49


O andreense Gianlucca Trevellin, 5 anos, iniciará ainda este ano tratamento contra a AME (Atrofia Muscular Espinhal), doença degenerativa e rara que afeta a musculatura do garoto. Isso porque, na última sexta-feira, a Justiça acatou pedido do advogado da família e concedeu sequestro de verbas públicas, o que garante que o Ministério da Saúde custeará a medicação.

Liminar que determinava a compra do remédio importado Spinraza foi concedida em março, porém a família ainda aguardava a liberação do dinheiro para dar início à terapia, que tem custo estimado de R$ 2 milhões por ano - cada dose do medicamento custa R$ 410 mil. Para forçar que a União cumprisse a decisão judicial, a defesa entrou com o pedido de sequestro, situação em que a Justiça determina que o valor seja repassado e que, mais tarde, sejam prestadas contas que comprovem o uso do dinheiro.

A decisão favorável a Gianlucca foi tomada após protesto realizado no início da tarde de sexta-feira, em frente à Justiça Federal em Santo André. Na ocasião, cerca de 50 pessoas entre familiares e amigos ostentavam faixas em apoio ao pequeno e distribuíam panfletos aos motoristas e pedestres que passavam pela Avenida Pereira Barreto.

“Daqui a cerca de um mês o Gian vai começar a receber as aplicações. Nosso herói será a primeira criança a ter acesso ao tratamento com dinheiro do Ministério da Saúde graças à decisão de bloqueio”, comemorou o pai, o comerciante Renato Trevellin, 40 anos.

A AME, doença de origem genética, faz com que os músculos do corpo parem de funcionar com o passar do tempo. Já sem sorrir e expressando emoções pelo piscar dos olhos, o menino vem apresentando piora sem o remédio.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Gianlucca consegue recurso para custear primeiro ano de tratamento

Marília Montich
Do Diário OnLine

22/10/2017 | 11:49


O andreense Gianlucca Trevellin, 5 anos, iniciará ainda este ano tratamento contra a AME (Atrofia Muscular Espinhal), doença degenerativa e rara que afeta a musculatura do garoto. Isso porque, na última sexta-feira, a Justiça acatou pedido do advogado da família e concedeu sequestro de verbas públicas, o que garante que o Ministério da Saúde custeará a medicação.

Liminar que determinava a compra do remédio importado Spinraza foi concedida em março, porém a família ainda aguardava a liberação do dinheiro para dar início à terapia, que tem custo estimado de R$ 2 milhões por ano - cada dose do medicamento custa R$ 410 mil. Para forçar que a União cumprisse a decisão judicial, a defesa entrou com o pedido de sequestro, situação em que a Justiça determina que o valor seja repassado e que, mais tarde, sejam prestadas contas que comprovem o uso do dinheiro.

A decisão favorável a Gianlucca foi tomada após protesto realizado no início da tarde de sexta-feira, em frente à Justiça Federal em Santo André. Na ocasião, cerca de 50 pessoas entre familiares e amigos ostentavam faixas em apoio ao pequeno e distribuíam panfletos aos motoristas e pedestres que passavam pela Avenida Pereira Barreto.

“Daqui a cerca de um mês o Gian vai começar a receber as aplicações. Nosso herói será a primeira criança a ter acesso ao tratamento com dinheiro do Ministério da Saúde graças à decisão de bloqueio”, comemorou o pai, o comerciante Renato Trevellin, 40 anos.

A AME, doença de origem genética, faz com que os músculos do corpo parem de funcionar com o passar do tempo. Já sem sorrir e expressando emoções pelo piscar dos olhos, o menino vem apresentando piora sem o remédio.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;