Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Delegado pede que Raquel Dodge inclua PF em delações

Fotos Públicas/Divulgação  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


21/10/2017 | 08:12


Durante a entrevista coletiva para tratar da nova fase da Operação Lava Jato, deflagrada nesta sexta (20), o delegado da Polícia Federal, Felipe Hayashi, pediu que a procuradora-geral da República, Raquel Dodge não exclua a participação da PF nos acordos de delação.

"Clamamos que Raquel Dodge reveja a exclusão delegados da PF das colaborações. A exclusão da PF dos acordos de colaboração vai favorecer apenas o crime organizado", afirmou ele.

Em abril do ano passado, o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou no Supremo Tribunal Federal uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) que questiona a Lei das Organizações Criminosas que autoriza delegados de polícia a negociar acordos de colaboração. O Supremo ainda não julgou a ADI e a PF tem feito acordos sem o Ministério Público. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Delegado pede que Raquel Dodge inclua PF em delações


21/10/2017 | 08:12


Durante a entrevista coletiva para tratar da nova fase da Operação Lava Jato, deflagrada nesta sexta (20), o delegado da Polícia Federal, Felipe Hayashi, pediu que a procuradora-geral da República, Raquel Dodge não exclua a participação da PF nos acordos de delação.

"Clamamos que Raquel Dodge reveja a exclusão delegados da PF das colaborações. A exclusão da PF dos acordos de colaboração vai favorecer apenas o crime organizado", afirmou ele.

Em abril do ano passado, o então procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou no Supremo Tribunal Federal uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) que questiona a Lei das Organizações Criminosas que autoriza delegados de polícia a negociar acordos de colaboração. O Supremo ainda não julgou a ADI e a PF tem feito acordos sem o Ministério Público. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;