Fechar
Publicidade

Sábado, 19 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Tietê e Pinheiros têm 20 mortes e menos acidentes

Antony Sappres/ Fotos Públicas Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


20/10/2017 | 08:03


Os acidentes nas Marginais da cidade causaram 20 mortes de janeiro a agosto de 2017, uma a mais do que havia sido registrado no mesmo período do ano passado. A estabilização no número acontece em meio a uma redução no total de colisões e de casos com feridos nessas vias. Em 2015, esse número tinha chegado a 29 óbitos. A Prefeitura atribuiu a queda nos acidentes aos programas implementados desde o começo do ano, como o Marginal Segura.

Os dados foram divulgados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) ontem. Nos oito primeiros meses do ano, nas Marginais do Tietê e do Pinheiros, aconteceram 299 acidentes, dos quais 284 tiveram feridos ou mortos. Em comparação com 2016, houve queda: naquele período foram 347 colisões, com 335 feridos ou mortos.

A divulgação ocorreu no mesmo dia em que o governo do Estado torna público os dados do Infosiga (Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito).

Esse dado mostrou que em todas as vias da cidade, no mês de setembro, houve queda no número de pessoas mortas em acidentes, na comparação com o mesmo mês do ano anterior: de 74 para 68. No Estado, esse dado aumentou na mesma comparação: de 446 para 472.

O secretário de Transportes da capital, Sérgio Avelleda, disse à reportagem que a gestão João Doria (PSDB) pretende alcançar novas reduções de casos nas Marginais nos próximos meses. "Sem dúvida, a implementação do Marginal Segura contribuiu para a queda nos acidentes. Hoje, temos muito mais presença nas vias com capacidade de realizar remoções de interferências, diminuindo o risco", disse.

Segundo ele, o aumento do tempo de travessia para pedestres e operações localizadas, como na M?Boi Mirim, ajudaram a reduzir as mortes em outros pontos da cidade.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Tietê e Pinheiros têm 20 mortes e menos acidentes


20/10/2017 | 08:03


Os acidentes nas Marginais da cidade causaram 20 mortes de janeiro a agosto de 2017, uma a mais do que havia sido registrado no mesmo período do ano passado. A estabilização no número acontece em meio a uma redução no total de colisões e de casos com feridos nessas vias. Em 2015, esse número tinha chegado a 29 óbitos. A Prefeitura atribuiu a queda nos acidentes aos programas implementados desde o começo do ano, como o Marginal Segura.

Os dados foram divulgados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) ontem. Nos oito primeiros meses do ano, nas Marginais do Tietê e do Pinheiros, aconteceram 299 acidentes, dos quais 284 tiveram feridos ou mortos. Em comparação com 2016, houve queda: naquele período foram 347 colisões, com 335 feridos ou mortos.

A divulgação ocorreu no mesmo dia em que o governo do Estado torna público os dados do Infosiga (Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito).

Esse dado mostrou que em todas as vias da cidade, no mês de setembro, houve queda no número de pessoas mortas em acidentes, na comparação com o mesmo mês do ano anterior: de 74 para 68. No Estado, esse dado aumentou na mesma comparação: de 446 para 472.

O secretário de Transportes da capital, Sérgio Avelleda, disse à reportagem que a gestão João Doria (PSDB) pretende alcançar novas reduções de casos nas Marginais nos próximos meses. "Sem dúvida, a implementação do Marginal Segura contribuiu para a queda nos acidentes. Hoje, temos muito mais presença nas vias com capacidade de realizar remoções de interferências, diminuindo o risco", disse.

Segundo ele, o aumento do tempo de travessia para pedestres e operações localizadas, como na M?Boi Mirim, ajudaram a reduzir as mortes em outros pontos da cidade.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;