Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 11 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Alargar banda cambial não é "objetivo central", diz chefe do BC chinês



19/10/2017 | 05:30


O alargamento da banda cambial da China não é um "objetivo central", uma vez que a atual banda não está restringindo a demanda ou oferta do mercado por moeda estrangeira, disse o presidente do banco central chinês (PBoC), Zhou Xiaochuan.

Pela regra do PBoC, o yuan pode variar até 2% diariamente, para cima ou para baixo, em relação à taxa de paridade estabelecida em relação ao dólar.

Segundo Zhou, a China irá abrir ainda mais seus mercados financeiros, após estabelecer parcerias com os mercados de ações e bônus de Hong Kong.

Zhou também comentou que reguladores chineses vêm observando um rápido aumento no endividamento das famílias e que pretendem garantir que essas dívidas cresçam de forma estável e saudável no futuro. Fonte: Dow Jones Newswires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Alargar banda cambial não é "objetivo central", diz chefe do BC chinês


19/10/2017 | 05:30


O alargamento da banda cambial da China não é um "objetivo central", uma vez que a atual banda não está restringindo a demanda ou oferta do mercado por moeda estrangeira, disse o presidente do banco central chinês (PBoC), Zhou Xiaochuan.

Pela regra do PBoC, o yuan pode variar até 2% diariamente, para cima ou para baixo, em relação à taxa de paridade estabelecida em relação ao dólar.

Segundo Zhou, a China irá abrir ainda mais seus mercados financeiros, após estabelecer parcerias com os mercados de ações e bônus de Hong Kong.

Zhou também comentou que reguladores chineses vêm observando um rápido aumento no endividamento das famílias e que pretendem garantir que essas dívidas cresçam de forma estável e saudável no futuro. Fonte: Dow Jones Newswires.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;