Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 15 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Entrega de alimentos ajuda 31 mil pessoas

Nario Barbosa/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Programas mantidos pelas prefeituras da região distribuíram 470 toneladas de produtos neste ano


Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

17/10/2017 | 07:00


 “Graças à doação que ganho, minha família e eu conseguimos comer uma verdura e uma fruta. Com o salário que recebo, só conseguimos (comprar) o arroz e o feijão mesmo. Eu dou graças a Deus, porque não passamos mais fome”, revela a dona de casa Maria Helena Mendes, 45 anos, moradora do Jardim Miranda D’aviz, em Mauá. Ela faz parte das pelo menos 30.996 pessoas do Grande ABC beneficiadas por programas municipais de doação de alimentos em cinco cidades. Somente neste ano, juntas, Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema e Mauá arrecadaram e distribuíram 470 toneladas de itens como frutas, verduras, legumes e grãos.
No Jardim Miranda D’aviz, 52 famílias são contempladas com os alimentos distribuídos pela Associação de Amigos de Bairro. A presidente da organização, Wilma da Silva Torres, faz o trabalho desde 1991. “A gente vê que muitas pessoas melhoraram de vida e, por isso, deixaram de receber, mas tem muita gente que piorou”, destaca referindo-se à crise econômica e ao desemprego.
A família de Maria Helena é uma das que passaram a obter o recurso devido às dificuldades financeiras. A dona de casa divide residência com o marido, ajudante de mecânico e três filhos pequenos. “Graças a Deus ele (marido) é registrado. Mas com as contas que pagamos, o que recebemos dá certinho para viver. Muitas vezes não tem nem (dinheiro) para a passagem (de ônibus).”
O banco de alimentos de Mauá arrecadou 200 toneladas de produtos neste ano. O volume é suficente para atender 2.251 famílias e 91 associações e entidades da cidade, beneficiando l 7.296 pessoas no total. A Prefeitura informou ainda que recebeu, do Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário, crédito de R$ 830 mil para o PAA (Programa de Aquisição de Alimentos). “Trata-se do segundo maior valor do Estado de São Paulo, ficando apenas atrás da Capital. A secretaria pretende manter e ampliar os beneficiários, de acordo com o projeto a definir”, diz.

DEMAIS CIDADES
No Dia Mundial da Alimentação, celebrado ontem, a população de Santo André teve motivos para comemorar. Isso porque o município destacou a retomada das atividades do banco de alimentos, paralisadas desde o fim do ano passado. Desde abril, foram 156 toneladas de alimentos arrecadadas e distribuídas para 62 instituições sociais, o que representa cerca de 10 mil pessoas atendidas. O espaço, que recebe doações e faz a distribuição às entidades, funciona na Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André).
Conforme a coordenadora do banco, Solange Galuzzi, a ideia é aumentar a arrecadação e o número de parceiros fixos. “Também estamos procurando entidades que já eram beneficiárias do programa e tiveram o rompimento no ano passado.”
A Instituição Assistencial Casa do Caminho Ananias, que tem duas unidades – no Jardim Santo André e no Jardim do Sol –, beneficia 125 crianças e 48 idosos por meio de parcerias e doações. A coordenadora Edileuza dos Santos comemora o retorno do programa municipal. “Durante o período (em que o serviço ficou parado), geralmente não se comprava hortifrúti. Conseguíamos servir as refeições, mas era difícil manter a qualidade de nutrientes. O retorno da ajuda foi essencial. Representa cerca de 20% dos alimentos servidos”, explica.
São Bernardo mantém banco de alimentos desde 2011. Até setembro, foram arrecadadas 94 toneladas – que, após seleção e triagem, totalizaram 85 toneladas de produtos. O volume de itens é suficiente para atender 69 instituições, sendo 51 cadastradas e 18 em vias de regularização.
São Caetano não possui banco de alimentos, mas o Fundo Social de Solidariedade da cidade recebe doações de produtos não perecíveis, que são distribuídos à população carente. Neste ano, foram entregues cerca de 20 toneladas em forma de kits para 700 famílias. A mesma situação se aplica em Ribeirão Pires, onde o Fundo Social realiza campanhas de arrecadação. A Prefeitura, no entanto, não forneceu números.
Diadema também mantém banco, que beneficia 60 entidades e 13 mil pessoas. A cidade não informou a quantidade arrecadada. Rio Grande da Serra não se pronunciou.

Municípios realizam programação especial
Algumas cidades da região têm programação especial em relação ao Dia Mundial da Alimentação, comemorado ontem. Mauá realiza educação nutricional nas escolas municipais hoje, além de palestras e oficinas até o sábado.
Amanhã, haverá exposição de horta saudável, alimentação saudável e feira gastronômica na Praça 22 de Novembro, no Centro. No sábado também haverá campanha de arrecadação em supermercados da cidade. Os locais estão disponíveis no site www.maua.sp.gov.br.
Em São Bernardo, no dia 26, o Consea (Conselho Municipal de Segurança Alimentar) realiza evento para reunir produtores de pescados e hortícolas da cidade para que tomem conhecimento sobre a existência do conselho e do banco de alimentos.

SISAN
Das cidades do Grande ABC, somente São Bernardo faz parte do Sisan (Sistema de Segurança Alimentar e Nutricional), do Ministério do Desenvolvimento Social. A adesão ao sistema, que reúne diversos setores do governo e da sociedade civil com o propósito de promover o DHAA (Direito Humano à Alimentação Adequada), é feita de forma voluntária. O sistema permite o monitoramento e a avaliação das mudanças nas situações de alimentação e nutrição e o impacto de programas nessa área.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Entrega de alimentos ajuda 31 mil pessoas

Programas mantidos pelas prefeituras da região distribuíram 470 toneladas de produtos neste ano

Yara Ferraz
Do Diário do Grande ABC

17/10/2017 | 07:00


 “Graças à doação que ganho, minha família e eu conseguimos comer uma verdura e uma fruta. Com o salário que recebo, só conseguimos (comprar) o arroz e o feijão mesmo. Eu dou graças a Deus, porque não passamos mais fome”, revela a dona de casa Maria Helena Mendes, 45 anos, moradora do Jardim Miranda D’aviz, em Mauá. Ela faz parte das pelo menos 30.996 pessoas do Grande ABC beneficiadas por programas municipais de doação de alimentos em cinco cidades. Somente neste ano, juntas, Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema e Mauá arrecadaram e distribuíram 470 toneladas de itens como frutas, verduras, legumes e grãos.
No Jardim Miranda D’aviz, 52 famílias são contempladas com os alimentos distribuídos pela Associação de Amigos de Bairro. A presidente da organização, Wilma da Silva Torres, faz o trabalho desde 1991. “A gente vê que muitas pessoas melhoraram de vida e, por isso, deixaram de receber, mas tem muita gente que piorou”, destaca referindo-se à crise econômica e ao desemprego.
A família de Maria Helena é uma das que passaram a obter o recurso devido às dificuldades financeiras. A dona de casa divide residência com o marido, ajudante de mecânico e três filhos pequenos. “Graças a Deus ele (marido) é registrado. Mas com as contas que pagamos, o que recebemos dá certinho para viver. Muitas vezes não tem nem (dinheiro) para a passagem (de ônibus).”
O banco de alimentos de Mauá arrecadou 200 toneladas de produtos neste ano. O volume é suficente para atender 2.251 famílias e 91 associações e entidades da cidade, beneficiando l 7.296 pessoas no total. A Prefeitura informou ainda que recebeu, do Ministério de Desenvolvimento Social e Agrário, crédito de R$ 830 mil para o PAA (Programa de Aquisição de Alimentos). “Trata-se do segundo maior valor do Estado de São Paulo, ficando apenas atrás da Capital. A secretaria pretende manter e ampliar os beneficiários, de acordo com o projeto a definir”, diz.

DEMAIS CIDADES
No Dia Mundial da Alimentação, celebrado ontem, a população de Santo André teve motivos para comemorar. Isso porque o município destacou a retomada das atividades do banco de alimentos, paralisadas desde o fim do ano passado. Desde abril, foram 156 toneladas de alimentos arrecadadas e distribuídas para 62 instituições sociais, o que representa cerca de 10 mil pessoas atendidas. O espaço, que recebe doações e faz a distribuição às entidades, funciona na Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André).
Conforme a coordenadora do banco, Solange Galuzzi, a ideia é aumentar a arrecadação e o número de parceiros fixos. “Também estamos procurando entidades que já eram beneficiárias do programa e tiveram o rompimento no ano passado.”
A Instituição Assistencial Casa do Caminho Ananias, que tem duas unidades – no Jardim Santo André e no Jardim do Sol –, beneficia 125 crianças e 48 idosos por meio de parcerias e doações. A coordenadora Edileuza dos Santos comemora o retorno do programa municipal. “Durante o período (em que o serviço ficou parado), geralmente não se comprava hortifrúti. Conseguíamos servir as refeições, mas era difícil manter a qualidade de nutrientes. O retorno da ajuda foi essencial. Representa cerca de 20% dos alimentos servidos”, explica.
São Bernardo mantém banco de alimentos desde 2011. Até setembro, foram arrecadadas 94 toneladas – que, após seleção e triagem, totalizaram 85 toneladas de produtos. O volume de itens é suficiente para atender 69 instituições, sendo 51 cadastradas e 18 em vias de regularização.
São Caetano não possui banco de alimentos, mas o Fundo Social de Solidariedade da cidade recebe doações de produtos não perecíveis, que são distribuídos à população carente. Neste ano, foram entregues cerca de 20 toneladas em forma de kits para 700 famílias. A mesma situação se aplica em Ribeirão Pires, onde o Fundo Social realiza campanhas de arrecadação. A Prefeitura, no entanto, não forneceu números.
Diadema também mantém banco, que beneficia 60 entidades e 13 mil pessoas. A cidade não informou a quantidade arrecadada. Rio Grande da Serra não se pronunciou.

Municípios realizam programação especial
Algumas cidades da região têm programação especial em relação ao Dia Mundial da Alimentação, comemorado ontem. Mauá realiza educação nutricional nas escolas municipais hoje, além de palestras e oficinas até o sábado.
Amanhã, haverá exposição de horta saudável, alimentação saudável e feira gastronômica na Praça 22 de Novembro, no Centro. No sábado também haverá campanha de arrecadação em supermercados da cidade. Os locais estão disponíveis no site www.maua.sp.gov.br.
Em São Bernardo, no dia 26, o Consea (Conselho Municipal de Segurança Alimentar) realiza evento para reunir produtores de pescados e hortícolas da cidade para que tomem conhecimento sobre a existência do conselho e do banco de alimentos.

SISAN
Das cidades do Grande ABC, somente São Bernardo faz parte do Sisan (Sistema de Segurança Alimentar e Nutricional), do Ministério do Desenvolvimento Social. A adesão ao sistema, que reúne diversos setores do governo e da sociedade civil com o propósito de promover o DHAA (Direito Humano à Alimentação Adequada), é feita de forma voluntária. O sistema permite o monitoramento e a avaliação das mudanças nas situações de alimentação e nutrição e o impacto de programas nessa área.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;