Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 27 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Falta leite materno no Hospital Mário Covas


Déborah Moreira
Do Diário do Grande ABC

16/05/2010 | 07:09


O Banco de Leite Humano do Hospital Estadual Mário Covas, em Santo André, que recebe doações de toda a região - exceto Diadema e São Bernardo - está atuando com estoque reduzido desde fevereiro. O número de doadoras mensais caiu de 36 para 16.

Atualmente, existem 800 litros de leite humano pasteurizado e 1.050 litros de colostro (primeiro leite extraído no início da amamentação, com maior valor nutricional). "Temos capacidade para armazenar muito mais. Os dois congeladores estão vazios, e isso nos assusta porque temos um longo inverno pela frente, quando as mulheres têm menos disposição para doar", relatou Cristiane Damasceno Lopes, técnica em nutrição do banco de leite do hospital.

Como se trata de unidade para tratar casos de alta complexidade, os recém-nascidos do local geralmente são prematuros. As mães, por sua vez, passam por muito desgaste emocional, e o estresse causado acaba influenciando na produção de leite materno. "Daí a necessidade de haver estoque. No início, tiramos o leite materno da própria mãe, que é dado em um copo dosador. Depois, para manter a dieta exclusiva do produto, precisamos de doadoras", contou.

Ana Paula Tavares Barbosa, 22 anos, é uma dessas mães. Teve pré-eclâmpsia (pressão alta) e descolamento de placenta. Seu filho nasceu com pouco mais de seis meses e meio (27 semanas) de gestação. "Sem o banco de leite ficaria muito difícil. Com 1 mês e meio (da criança) fiquei sem leite. Mesmo assim vinha estimular a amamentação. Graça a isso, há 15 dias estou podendo amamentar meu filho, que nasceu com 690 gramas e agora está com 2 quilos e 145 gramas", contou Ana.

Normalmente, o leite humano dura 15 dias no congelador. Para durar mais, é pasteurizado, e o prazo no congelador aumenta para seis meses.

As interessadas em contribuir devem ligar para o telefone 2829-5021, em horário comercial, e realizar o cadastro. É preciso apresentar os exames de pré-natal. As doadoras não podem estar tomando medicamentos controlados, consumir bebidas alcoólicas ou fumar. A coleta é realizada uma vez por semana.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;