Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Moradores pedem muro de arrimo na V.Helena


Ana Carolina Negrão
Especial para o Diário

26/06/2006 | 07:57


Há 15 anos a aposentada Juliana Cantor Ferreira, 66 anos, moradora da avenida Andrade Neves, na Vila Helena, em Santo André, convive com o medo de ter parte da casa soterrada novamente. Em março de 1991, parte da rua Rio Pardo, que faz esquina com a avenida, desmoronou no quintal da aposentada. Desde então, Juliana e os outros moradores da Rio Pardo lutam para que a Prefeitura faça um muro de arrimo no local para evitar novos acidentes.

Na ocasião, três cômodos da casa da aposentada foram soterrados. “Quando fizeram o asfalto da avenida Andrade Neves, construíram muros em todas as casas que fazem esquina com a via. Entretanto, a única casa onde a Prefeitura não fez o muro foi a minha”, conta. No deslizamento, parte do asfalto da rua Rio Pardo caiu com a terra. Para evitar que os carros caiam no barranco, a administradora improvisou uma sarjeta, diminuindo o leito trafegável da rua. Entretanto, os blocos de cimento já foram retirados pelos carros que passam pelo local.

“As pessoas jogam lixo lá em cima e quem tem que arcar com as conseqüências sou eu. Tenho mais de R$4 mil em multas por causa da falta do muro, mato e da sujeira”, afirma a aposentada. Segundo Juliana, a administração pública exige que ela faça o muro de arrimo, assim como do mato. “A Prefeitura manda tirar o mato, mas os bombeiros dizem que não posso roçar porque ainda há o risco de novos deslizamentos”, diz a moradora, que fez inúmeros abaixo-assinados pedindo para a Prefeitura realizar as obras no local.

Ratos – Na rua Rio Pardo, os moradores sentem-se incomodados com a sujeira. “Moro aqui há 10 anos e sempre teve lixo nesse local. Pessoas de outras ruas vêm de carro até aqui para jogar lixo.”, afirma o músico Valdinei da Silva, 33 anos.

Assim como Silva, a tosadora Eliane Cristina de Morais, 31 anos, convive com a presença de roedores em sua residência. “Sempre tenho que deixar um estoque de veneno em casa”, afirma.

A administração pública disse em nota que “efetua uma análise para verificar a quem cabe a realização da obra de contenção, se pelo proprietário, ou pela Prefeitura.” Se a responsabilidade for da administração, o município realizará a construção do muro de arrimo. Não foi dado prazo para que a análise seja feita. (Supervisão de Artur Rodrigues)



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;