Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Traficante preso confessa que já matou 20 pessoas


Das Agências

07/08/2001 | 00:35


Policiais civis da Equipe Especial de Investigação de Homicídios Múltiplos prenderam na madrugada desta segunda o traficante Anderson Lopes de Souza, 18 anos, conhecido como Chapolim. Ele confessou a autoria de 20 assassinatos, incluindo três vítimas de uma chacina no Parque Santo Antônio, na Zona Sul de São Paulo, no domingo passado. Para a polícia, entretanto, o número de mortes praticadas por Souza pode ser ainda maior.

Durante o cerco policial, na rua da Lama, Parque Santo Antônio, também foram presos o rapaz M.C.C, 17, – que confessou ter participado da chacina com Souza – e Luciano Lucio da Cruz Galo, o Gasparzinho, fugitivo do 85º Distrito Policial.

De acordo com o investigador Pedro Ivo Corrêa dos Santos, autor da prisão de Souza, o traficante confessou em seu depoimento que uma disputa por um ponto de drogas na região motivou a chacina. Ele estaria sendo ameaçado de morte pelo grupo rival, que atuava no local e comandava o tráfico.

Com a ajuda do menor e usando dois revólveres calibre 38, ele cercou as vítimas em um campo de futebol. Efetuaram vários disparos. Anderson Souza dos Santos, 17, Marco Galdino Leite, 29, e Renato Diogo da Silva, 24, ainda tentaram fugir em suas bicicletas, mas foram baleados e mortos.

Após cometerem o triplo homicídio, Souza e o menor se esconderam em um barraco numa favela próxima do local das mortes.

Por intermédio de moradores da região, os homens da Equipe de Chacinas, que faz parte dos quadros do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), receberam a informação de que os autores do crime estariam na região. Após a prisão dos criminosos, já na sede do DHPP, no Centro, Souza confessou que já matou 20 pessoas, mas existe a suspeita de que o número de mortes cometidas por Souza seja ainda maior do que o que ele confessou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Traficante preso confessa que já matou 20 pessoas

Das Agências

07/08/2001 | 00:35


Policiais civis da Equipe Especial de Investigação de Homicídios Múltiplos prenderam na madrugada desta segunda o traficante Anderson Lopes de Souza, 18 anos, conhecido como Chapolim. Ele confessou a autoria de 20 assassinatos, incluindo três vítimas de uma chacina no Parque Santo Antônio, na Zona Sul de São Paulo, no domingo passado. Para a polícia, entretanto, o número de mortes praticadas por Souza pode ser ainda maior.

Durante o cerco policial, na rua da Lama, Parque Santo Antônio, também foram presos o rapaz M.C.C, 17, – que confessou ter participado da chacina com Souza – e Luciano Lucio da Cruz Galo, o Gasparzinho, fugitivo do 85º Distrito Policial.

De acordo com o investigador Pedro Ivo Corrêa dos Santos, autor da prisão de Souza, o traficante confessou em seu depoimento que uma disputa por um ponto de drogas na região motivou a chacina. Ele estaria sendo ameaçado de morte pelo grupo rival, que atuava no local e comandava o tráfico.

Com a ajuda do menor e usando dois revólveres calibre 38, ele cercou as vítimas em um campo de futebol. Efetuaram vários disparos. Anderson Souza dos Santos, 17, Marco Galdino Leite, 29, e Renato Diogo da Silva, 24, ainda tentaram fugir em suas bicicletas, mas foram baleados e mortos.

Após cometerem o triplo homicídio, Souza e o menor se esconderam em um barraco numa favela próxima do local das mortes.

Por intermédio de moradores da região, os homens da Equipe de Chacinas, que faz parte dos quadros do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), receberam a informação de que os autores do crime estariam na região. Após a prisão dos criminosos, já na sede do DHPP, no Centro, Souza confessou que já matou 20 pessoas, mas existe a suspeita de que o número de mortes cometidas por Souza seja ainda maior do que o que ele confessou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;