Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Buracos e poeira atrapalham tráfego de veículos no Capuava

Bairro convive com crateras em diversas ruas há mais de uma década


Matheus Angioleto
Especial para o Diário

31/05/2017 | 07:00


 O cenário de abandono caracterizado pelos inúmeros buracos presentes no asfalto é comum nas ruas Stéfano Malesqui, Luiz Novi e Vereador Pedro Madeu, no bairro Capuava, em Mauá. A área de constante tráfego de caminhões está há anos sem manutenção.

As ruas estreitas e esburacadas dividem o espaço com veículos grandes e pesados que acessam as inúmeras empresas instaladas na região. Motos e carros que tentam passar pelos obstáculos precisam diminuir a velocidade e desviar.

O problema já foi, inclusive, alvo de reportagem publicada pelo Diário no dia 8 de fevereiro. À época, a Prefeitura afirmou que reunião com moradores foi realizada para ouvir reivindicações e que, a partir daquele momento, prioridades seriam definidas. Contudo, nada foi feito até o momento.

Em período de chuvas o barro toma conta das ruas, sujando veículos e casas. Quando o barro seca, a poeira invade as residências. “Convivo com isso aqui há muitos anos, é um absurdo. Tem de passar devagar. A vida é complicada, a rua somente tem buraco e nada mais”, afirma o aposentado Nicolau Varella, 63. Segundo ele, a situação se arrasta há 15 anos.

Já na opinião do morador Antonio José de Mendonça, 59, o transtorno é ainda mais antigo. “Desde 1977 ninguém nunca cuidou. E em relação à poeira nem se fala. Virou polo industrial (o Capuava), por aqui tem apenas caminhão e na rua, somente buracos.”

Adalberto Versolato, 40, microempreendedor que está apenas há duas semanas no bairro, considera que tanto a calçada quanto a rua são fatores precários devido à alta circulação de caminhões. “Treme tudo porque a rua é cheia de buracos. No caso da poeira, é o dia inteiro. A gente não dá conta de varrer”, pontua.

A Prefeitura de Mauá informou, em nota, ter colocado em prática o programa Pavimenta Mauá, que asfaltará mais de 100 ruas na cidade. “O bairro Capuava também será atendido por meio do programa. A administração está organizando vistorias diárias e atualizando o planejamento de recapeamento conforme as ruas que apresentam urgência”, explica o texto.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Buracos e poeira atrapalham tráfego de veículos no Capuava

Bairro convive com crateras em diversas ruas há mais de uma década

Matheus Angioleto
Especial para o Diário

31/05/2017 | 07:00


 O cenário de abandono caracterizado pelos inúmeros buracos presentes no asfalto é comum nas ruas Stéfano Malesqui, Luiz Novi e Vereador Pedro Madeu, no bairro Capuava, em Mauá. A área de constante tráfego de caminhões está há anos sem manutenção.

As ruas estreitas e esburacadas dividem o espaço com veículos grandes e pesados que acessam as inúmeras empresas instaladas na região. Motos e carros que tentam passar pelos obstáculos precisam diminuir a velocidade e desviar.

O problema já foi, inclusive, alvo de reportagem publicada pelo Diário no dia 8 de fevereiro. À época, a Prefeitura afirmou que reunião com moradores foi realizada para ouvir reivindicações e que, a partir daquele momento, prioridades seriam definidas. Contudo, nada foi feito até o momento.

Em período de chuvas o barro toma conta das ruas, sujando veículos e casas. Quando o barro seca, a poeira invade as residências. “Convivo com isso aqui há muitos anos, é um absurdo. Tem de passar devagar. A vida é complicada, a rua somente tem buraco e nada mais”, afirma o aposentado Nicolau Varella, 63. Segundo ele, a situação se arrasta há 15 anos.

Já na opinião do morador Antonio José de Mendonça, 59, o transtorno é ainda mais antigo. “Desde 1977 ninguém nunca cuidou. E em relação à poeira nem se fala. Virou polo industrial (o Capuava), por aqui tem apenas caminhão e na rua, somente buracos.”

Adalberto Versolato, 40, microempreendedor que está apenas há duas semanas no bairro, considera que tanto a calçada quanto a rua são fatores precários devido à alta circulação de caminhões. “Treme tudo porque a rua é cheia de buracos. No caso da poeira, é o dia inteiro. A gente não dá conta de varrer”, pontua.

A Prefeitura de Mauá informou, em nota, ter colocado em prática o programa Pavimenta Mauá, que asfaltará mais de 100 ruas na cidade. “O bairro Capuava também será atendido por meio do programa. A administração está organizando vistorias diárias e atualizando o planejamento de recapeamento conforme as ruas que apresentam urgência”, explica o texto.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;