Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Ziraldo, um maluquinho infernizando a rede


BETO GOMES
Do Diário OnLine

10/06/1999 | 12:00


As crianças o conhecem como o criador do Menino Maluquinho, personagem traquinas de um livro - e de um filme - que usa panela na cabeça e tem macaquinhos no sótao. Já os adultos lembram-se dele como um dos criadores de O Pasquim, jornal alternativo da década de 70 perseguido pela ditadura militar. Ziraldo destacou-se principalmente como escritor e chargista, mas realizou também trabalhos como teatrólogo, caricaturista e pintor, entre outros.

Sua mais nova investida, no entanto, é no mundo virtual. Boa parte da obra do artista já pode ser conferida em seu site oficial, sobretudo as mais de 80 publicaçoes voltadas ao mercado editorial. A diversidade do trabalho de Ziraldo reflete-se também sobre o público-alvo, atingindo adultos e crianças.

Os mais novos podem acompanhar os livros e coleçoes infantis, incluindo a íntegra de O Menino Maluquinho e suas seqüências (Uma professora muita maluquinha, O livro de receitas do Menino Maluquinho e Onde nao está o Menino Maluquinho).

Já os adultos irao conferir piadas e anedotas, além de tiras do personagem Mineirinho, o comequieto. A página, no entanto, fica devendo material sobre um dos períodos mais produtivos e importantes de Ziraldo: a década de 70 e sua participaçao na revista O Cruzeiro e no O Pasquim, uma das publicaçoes mais combativas ao regime militar. A única citaçao que faz sobre a época da ditadura está na seçao Biografia.

O site disponibiliza também os cartuns, logotipos, cartazes e pôsteres criados por Ziraldo. O usuário pode ainda enviar mensagens ao escritor, dando críticas e sugestoes sobre a página.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ziraldo, um maluquinho infernizando a rede

BETO GOMES
Do Diário OnLine

10/06/1999 | 12:00


As crianças o conhecem como o criador do Menino Maluquinho, personagem traquinas de um livro - e de um filme - que usa panela na cabeça e tem macaquinhos no sótao. Já os adultos lembram-se dele como um dos criadores de O Pasquim, jornal alternativo da década de 70 perseguido pela ditadura militar. Ziraldo destacou-se principalmente como escritor e chargista, mas realizou também trabalhos como teatrólogo, caricaturista e pintor, entre outros.

Sua mais nova investida, no entanto, é no mundo virtual. Boa parte da obra do artista já pode ser conferida em seu site oficial, sobretudo as mais de 80 publicaçoes voltadas ao mercado editorial. A diversidade do trabalho de Ziraldo reflete-se também sobre o público-alvo, atingindo adultos e crianças.

Os mais novos podem acompanhar os livros e coleçoes infantis, incluindo a íntegra de O Menino Maluquinho e suas seqüências (Uma professora muita maluquinha, O livro de receitas do Menino Maluquinho e Onde nao está o Menino Maluquinho).

Já os adultos irao conferir piadas e anedotas, além de tiras do personagem Mineirinho, o comequieto. A página, no entanto, fica devendo material sobre um dos períodos mais produtivos e importantes de Ziraldo: a década de 70 e sua participaçao na revista O Cruzeiro e no O Pasquim, uma das publicaçoes mais combativas ao regime militar. A única citaçao que faz sobre a época da ditadura está na seçao Biografia.

O site disponibiliza também os cartuns, logotipos, cartazes e pôsteres criados por Ziraldo. O usuário pode ainda enviar mensagens ao escritor, dando críticas e sugestoes sobre a página.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;