Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 1 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Brasileiro pagará 35,36% em tributos


Luciele Velluto
Do Diário do Grande ABC

03/11/2007 | 07:13


A arrecadação dos governos federal, estaduais e municipais deve crescer 1,14 ponto percentual neste ano.

A estimativa é de Amir Khair, professor de economia e especialista em finanças públicas. Segundo suas projeções, neste ano, a carga tributária incidente sobre os brasileiros deverá subir para 35,36% do PIB.

No ano passado, as contribuições e taxas representavam 34,23% do Produto Interno Bruto.

Para chegar a esses resultados, Amir Khair usa como base a previsão de um PIB de R$ 2,537 trilhões, o que representa um crescimento de 5% em relação a 2006, com inflação de 4%.

Previdência - Segundo o especialista em finanças públicas, os principais impostos que farão a carga tributária ser maior para as três instâncias de governo são os pagos para a Previdência Social, que será 0,30 ponto maior e deverá ser responsável por 26,5% da arrecadação, e o Imposto de Renda, com aumento de 0,29 ponto e peso de 25,3% na carga tributária.

Para Khair, os dados mostram que a atividade econômica em alta é positiva, na medida em que eleva o nível de formalização do emprego e, conseqüentemente, faz as empresas contribuírem mais, assim como os trabalhadores que passam a ter carteira de trabalho assinada.

“O governo ganha com a economia sadia. Também está havendo um maior combate à sonegação de impostos e tributos, pois o sistema das Fazendas estaduais e municipais tem se aprimorado”, explica.

A análise também leva em consideração o fato de que está havendo desonerações fiscais, como a adoção do Supersimples e da correção da tabela do Imposto de Renda, mas, segundo Khair, as alíquotas também poderiam ser reduzidas já que a melhora na economia e a formalização no mercado de trabalho, compensam a perda de arrecadação com tais subsídios fiscais.

“A realidade mostra que, pelo contrário, a arrecadação subiu e o governo poderia reduzir mais essas alíquotas”, atesta.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;