Fechar
Publicidade

Sábado, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Juizado Especial dá dicas para evitar transtornos em aeroportos


Da Agência Brasil

23/12/2007 | 13:14


Entre os principais problemas registrados neste fim de ano no Aeroporto Internacional de Brasília e na maioria dos grandes aeroportos do país estão os atrasos, os casos de overbooking (venda de passagens acima da capacidade de assentos do avião) e os cancelamentos de vôos, além de longas filas de espera para check in (apresentação da passagem e documento, emissão do cartão de embarque e despacho da bagagem) e extravio de bagagem. É o que informa a coordenadora do Juizado Especial do Aeroporto Internacional de Brasília, Daniella Torres.

Segundo ela, o número de reclamações em relação aos atrasos dos vôos aparece em primeiro lugar, seguido pelos casos de overbooking e de cancelamentos, geralmente provocados por problemas de manutenção nos aviões. “Aí, vira aquele efeito cascata, indo de um aeroporto para outro”.

A coordenadora alerta que, para evitar transtornos na hora do check in, os passageiros devem ficar atentos aos documentos necessários para o embarque.“O documento tem que ser original, com foto e com validade. Muita gente aparece com carteira de motorista vencida. Isso está dando muito problema”.

De acordo com Daniella Torres, a movimentação no Juizado Especial do Aeroporto Internacional de Brasília durante as comemorações de fim de ano é intensa. Só na sexta-feira (21), houve um aumento de 30% no número de reclamações. Ela explica que o objetivo principal do órgão, ao receber queixa, é propor a conciliação entre passageiro e companhia aérea.

“Nós chamamos a empresa aqui. Se o passageiro já se deu por contente com o que foi oferecido, fecha-se o acordo e está tudo ok”.

Daniella explica que a prática do overbooking por companhias aéreas é legal, e que as empresas podem chegar a vender cerca de 30% a mais que o número de assentos lotados nos aviões.

“Não é garantido que todo mundo que comprou passagem vai estar naquele vôo. Quem chegou antecipadamente e fez o check in embarca. Os últimos que chegaram têm que ser realocados no próximo vôo”.

A dica, segundo a coordenadora, é chegar com muita antecedência aos aeroportos. Daniella lembra que o check in pode ser feito até 24 horas antes dos horários de embarque. Segundo ela, existem companhias aéreas que fazem o serviço pela internet. “Depois, você somente despacha a bagagem, mas já garante seu lugar no vôo”.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;