Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 11 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Prisoes confirmam necessidade de nova CPI, defende oposiçao


Do Diário do Grande ABC

01/10/1999 | 20:51


Os vereadores da oposiçao afirmaram nesta sexta-feira que a prisao do chefe de gabinete da presidência da Câmara Municipal comprovou que eles estavam corretos ao defender a continuidade das investigaçoes das denúncias de irregularidades supostamente praticadas por parlamentares e órgaos da Prefeitura. "Isso só mostra que a CPI proposta pelas oposiçoes é necessária, porque os indícios de irregularidades têm de ser apurados", afirmou nesta sexta-feira o petista José Mentor.

De acordo com Mentor, os governistas terao dificuldade para encontrar argumentos capazes de justificar a rejeiçao à CPI. Nessa quinta-feira, o bloco governista na Câmara vetou, por 28 votos a 24, o pedido de criaçao da CPI. O principal argumento é o de que a comissao serviria apenas de palanque político para a oposiçao. "A bancada situacionista está em xeque, porque todas as tentativas de justificar a rejeiçao de uma nova CPI caíram por terra", afirmou o ex-presidente da CPI dos Fiscais, o também petista José Eduardo Martins Cardozo.

O peemedebista Miguel Colasuonno, que integra a base de sustentaçao do governo municipal, continua sendo contrário a uma nova investigaçao parlamentar. Para Colasuonno, porém, o episódio de nesta sexta-feira é grave e sua apuraçao deve receber total apoio da Câmara. "Nao podemos correr o risco de fazer um pré-julgamento, porque nao há nada que indique o envolvimento de um vereador e uma CPI seria política", argumentou Colasuonno.

Ele disse que, se for comprovado o envolvimento de algum parlamentar, a Câmara abrirá uma Comissao Processante, com base nas provas policiais. O vereador que eventualmente for considerado culpado pode perder o mandato.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Prisoes confirmam necessidade de nova CPI, defende oposiçao

Do Diário do Grande ABC

01/10/1999 | 20:51


Os vereadores da oposiçao afirmaram nesta sexta-feira que a prisao do chefe de gabinete da presidência da Câmara Municipal comprovou que eles estavam corretos ao defender a continuidade das investigaçoes das denúncias de irregularidades supostamente praticadas por parlamentares e órgaos da Prefeitura. "Isso só mostra que a CPI proposta pelas oposiçoes é necessária, porque os indícios de irregularidades têm de ser apurados", afirmou nesta sexta-feira o petista José Mentor.

De acordo com Mentor, os governistas terao dificuldade para encontrar argumentos capazes de justificar a rejeiçao à CPI. Nessa quinta-feira, o bloco governista na Câmara vetou, por 28 votos a 24, o pedido de criaçao da CPI. O principal argumento é o de que a comissao serviria apenas de palanque político para a oposiçao. "A bancada situacionista está em xeque, porque todas as tentativas de justificar a rejeiçao de uma nova CPI caíram por terra", afirmou o ex-presidente da CPI dos Fiscais, o também petista José Eduardo Martins Cardozo.

O peemedebista Miguel Colasuonno, que integra a base de sustentaçao do governo municipal, continua sendo contrário a uma nova investigaçao parlamentar. Para Colasuonno, porém, o episódio de nesta sexta-feira é grave e sua apuraçao deve receber total apoio da Câmara. "Nao podemos correr o risco de fazer um pré-julgamento, porque nao há nada que indique o envolvimento de um vereador e uma CPI seria política", argumentou Colasuonno.

Ele disse que, se for comprovado o envolvimento de algum parlamentar, a Câmara abrirá uma Comissao Processante, com base nas provas policiais. O vereador que eventualmente for considerado culpado pode perder o mandato.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;