Fechar
Publicidade

Sábado, 15 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Há práticas internacionais observadas para a reforma da Previdência, diz Caetano



20/02/2017 | 13:09


O secretário da Previdência Social, Marcelo Caetano, disse nesta segunda-feira, 20, que práticas internacionais estão sendo observadas para a proposta da reforma da Previdência. "Não há um único país que a reforma siga como padrão, mas tem um conjunto de práticas internacionais sendo observadas", afirmou em evento na Fundação Getulio Vargas (FGV). Ele destacou ainda que o gasto da pensão no Brasil é elevado sob uma perspectiva internacional.

Para Caetano, o problema da Previdência é complexo. "Pela dimensão dele, continua sendo complexo pela evolução demográfica e as soluções não são muito simples", disse.

O secretário destacou que as mudanças envolvem a proposição de alterações pelo Executivo, mas há um debate. "Não vejo a opção de não se fazer reforma, tem que se fazer uma reforma e apareceu uma oportunidade agora", comentou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Há práticas internacionais observadas para a reforma da Previdência, diz Caetano


20/02/2017 | 13:09


O secretário da Previdência Social, Marcelo Caetano, disse nesta segunda-feira, 20, que práticas internacionais estão sendo observadas para a proposta da reforma da Previdência. "Não há um único país que a reforma siga como padrão, mas tem um conjunto de práticas internacionais sendo observadas", afirmou em evento na Fundação Getulio Vargas (FGV). Ele destacou ainda que o gasto da pensão no Brasil é elevado sob uma perspectiva internacional.

Para Caetano, o problema da Previdência é complexo. "Pela dimensão dele, continua sendo complexo pela evolução demográfica e as soluções não são muito simples", disse.

O secretário destacou que as mudanças envolvem a proposição de alterações pelo Executivo, mas há um debate. "Não vejo a opção de não se fazer reforma, tem que se fazer uma reforma e apareceu uma oportunidade agora", comentou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;