Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Motivação e engajamento


Isis Borge
gerente da empresa de recrutamento Robert Half

31/01/2017 | 07:08


1 – Quais práticas podem ser adotas pela empresa para tornar a equipe engajada?

Apenas a remuneração e benefícios não são suficientes para manter uma equipe motivada, é preciso ir além e aplicar práticas e ações que façam os colaboradores se sentirem valorizados e peças fundamentais da organização. Entre elas, temos o auxílio no crescimento e desenvolvimento de competências, reconhecimento contínuo, novos desafios e campanhas de comunicação interna. Mas vale ressaltar que cada profissional é movido por um motivo diferente, com base em suas experiências e preferências pessoais. O ideal é que as companhias procurem entender qual o perfil de seus colaboradores, por meio de conversas transparentes com eles, para assim implementar ações adequadas e que façam sentido.

2 – Como posso manter a motivação no trabalho, no dia a dia?

Priorizar o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional é fundamental para alcançar uma motivação constante. Ninguém melhor do que você mesmo para entender o que te faz feliz e impulsiona na vida, por isso veja se a sua função atual na empresa condiz com seu propósito na carreira. Identificar qual o seu papel diante do negócio da organização também é crucial para que possa entender qual sua importância no todo. Traçar metas e objetivos diários também é uma maneira de acordar mais disposto para executar as tarefas. Nem sempre o que o motiva hoje é o mesmo de daqui a um mês.

3 – Qual o papel do gestor no processo de motivação?

O gestor é fundamental nesse processo, é por meio das suas atitudes, postura e forma de gerir – alinhando a missão e os valores da empresa – que os funcionários podem se espelhar. É importante que o líder demonstre de forma transparente aonde ele pretende chegar com a equipe e o trabalho proposto e qual a importância e a data de conclusão da atividade, sempre alinhando as expectativas e com feedbacks constantes. Outra orientação é reconhecer constantemente os colaboradores pelos seus resultados, independentemente do tamanho da vitória.

4 – Todo gestor possui perfil para ser um bom líder?

Não. Muitos gestores têm dificuldade em assumir o papel de líder por não terem as características comportamentais desejadas para isso. As principais qualidades de um líder são a ambição, a resiliência, o foco e a preocupação com o desenvolvimento e o engajamento das pessoas, além da necessidade de manter o aprendizado constante. Algumas dessas habilidades podem ser adquiridas ao longo da carreira, já outras vêm da personalidade e maneira de trabalhar de cada um.

5 – O que fazer quando o funcionário não está motivado?

A primeira coisa é entender o motivo do desânimo. Se for algo relacionado à vida pessoal, nem sempre a organização poderá auxiliar. Mas, caso a questão seja profissional, é papel do gestor e do RH (Recursos Humanos) tentar auxiliar no problema, antes que seja tarde e o rendimento do funcionário diminua ou ele peça demissão, impactando nos resultados do negócio. Os feedbacks constantes são fundamentais para que pequenos ou grandes problemas sejam sanados.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;