Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 21 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Joao Paulo II vai a Bucareste para visita ecumênica


Do Diário do Grande ABC

07/05/1999 | 08:25


O Papa Joao Paulo II chegou esta sexta-feira a Bucareste, onde realizará sua primeira visita a uma terra ortodoxa, que foi limitada pelo patriarcado ortodoxo à capital romena e terá um caráter exclusivamente ecumênico.

``A igreja ortodoxa se opôs firmemente à viagem do Papa à Transilvânia e Moldávia (regioes onde vive a maioria dos católicos)'', declarou o decano da Faculdade de Teologia católica de Bucareste, o padre Isidoro Martinca.

``A igreja ortodoxa (que acusa os católicos de proselitismo), teve uma reaçao temerosa. Temia que a populaçao se entusiasmasse demais'', afirmou o decano.

``Nós nunca falamos de uma visita pastoral de Sua Santidade à Romênia, que nao fosse unicamente uma viagem ecumênica'', disse um membro da Igreja Ortodoxa que requis o anonimato.

Esta visita foi possível graças às importantes concessoes dos negociadores do Vaticano, que decidiram parar de reivindicar a restituiçao integral dos bens da Igreja Uniata (cristaos de rito ortodoxo que reconhecem a autoridade do Papa), que foram confiscados pelo poder comunista em 1948 e entregues à Igreja Ortodoxo.

As concessoes nao conseguiram, porém, apaziguar as suspeitas e a forte hostilidade da Igreja Ortodoxa contra o Vaticano e a figura do Papa.

Por conhecer as restriçoes dos católicos romenos e especialmente dos uniatos em relaçao à atual hierarquia ortodoxa - alguns altos membros da ortodoxia estiveram comprometidos com o regime comunista de Ceausescu - Joao Paulo II decidiu ignorá-los durante as longas negociaçoes que precederam a viagem. As negociaçoes, a cargo do representante do Vaticano, aconteceram secretamente, sem consulta da Conferência dos bispos católicos da Romênia'', disse o padre Martinca.

Numa mensagem em romeno, divulgada na terça-feira pelo arcebispado católico de Bucareste, o Papa tentou apaziguar os ressentimentos e anunciou ``ansiar o momento de abraçar os queridos fiéis da Igreja Católica e Greco-Católica (Uniatos)''. ``Nao venho para propor ilusoes fáceis, encantos súbitos, utopias passageiras ou polêmicas estéreis sobre o poder na Terra, mas venho sim para propor-lhes Aquela que é a Verdade de Deus, Jesus Cristo, Nosso Senhor, morto e ressuscitado para a salvaçao do mundo'', escreveu o Santo Padre.

A Romênia, um país com 23 milhoes de pessoas, tem cerca de 87% de ortodoxos, 5% de católicos e 1% de uniatos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Joao Paulo II vai a Bucareste para visita ecumênica

Do Diário do Grande ABC

07/05/1999 | 08:25


O Papa Joao Paulo II chegou esta sexta-feira a Bucareste, onde realizará sua primeira visita a uma terra ortodoxa, que foi limitada pelo patriarcado ortodoxo à capital romena e terá um caráter exclusivamente ecumênico.

``A igreja ortodoxa se opôs firmemente à viagem do Papa à Transilvânia e Moldávia (regioes onde vive a maioria dos católicos)'', declarou o decano da Faculdade de Teologia católica de Bucareste, o padre Isidoro Martinca.

``A igreja ortodoxa (que acusa os católicos de proselitismo), teve uma reaçao temerosa. Temia que a populaçao se entusiasmasse demais'', afirmou o decano.

``Nós nunca falamos de uma visita pastoral de Sua Santidade à Romênia, que nao fosse unicamente uma viagem ecumênica'', disse um membro da Igreja Ortodoxa que requis o anonimato.

Esta visita foi possível graças às importantes concessoes dos negociadores do Vaticano, que decidiram parar de reivindicar a restituiçao integral dos bens da Igreja Uniata (cristaos de rito ortodoxo que reconhecem a autoridade do Papa), que foram confiscados pelo poder comunista em 1948 e entregues à Igreja Ortodoxo.

As concessoes nao conseguiram, porém, apaziguar as suspeitas e a forte hostilidade da Igreja Ortodoxa contra o Vaticano e a figura do Papa.

Por conhecer as restriçoes dos católicos romenos e especialmente dos uniatos em relaçao à atual hierarquia ortodoxa - alguns altos membros da ortodoxia estiveram comprometidos com o regime comunista de Ceausescu - Joao Paulo II decidiu ignorá-los durante as longas negociaçoes que precederam a viagem. As negociaçoes, a cargo do representante do Vaticano, aconteceram secretamente, sem consulta da Conferência dos bispos católicos da Romênia'', disse o padre Martinca.

Numa mensagem em romeno, divulgada na terça-feira pelo arcebispado católico de Bucareste, o Papa tentou apaziguar os ressentimentos e anunciou ``ansiar o momento de abraçar os queridos fiéis da Igreja Católica e Greco-Católica (Uniatos)''. ``Nao venho para propor ilusoes fáceis, encantos súbitos, utopias passageiras ou polêmicas estéreis sobre o poder na Terra, mas venho sim para propor-lhes Aquela que é a Verdade de Deus, Jesus Cristo, Nosso Senhor, morto e ressuscitado para a salvaçao do mundo'', escreveu o Santo Padre.

A Romênia, um país com 23 milhoes de pessoas, tem cerca de 87% de ortodoxos, 5% de católicos e 1% de uniatos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;