Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Luizinho abre brecha a pleito fora do PPS

Banco de dados/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

16/04/2011 | 07:35


Filho do ex-triprefeito Luiz Tortorello, de São Caetano, Luiz Capovilla Tortorello, o Luizinho (PPS), resolveu se pronunciar sobre especulações que envolvem seu nome para o pleito municipal de 2012. O empresário revelou que, depois de conversas com grupo político e família, se sente preparado para encarar o processo eleitoral e que pretende se lançar candidato, mesmo que para isso seja necessário migrar de legenda.

Hoje, com 49 anos, Luizinho afirma que está circunstancialmente no PPS. Para ele, apesar de não ser aventada no momento, existe a possibilidade de saída. "Vamos ver por quanto tempo terei espaço. Sei que dificilmente seria representante do governo para a majoritária e nosso objetivo é disputar o Paço. Até setembro analisaremos a questão de mudança de partido, que pode existir."

O posicionamento de Luizinho incide após as afirmações do coordenador regional do PPS, Alex Manente, de que o partido só lançaria candidato caso fosse a indicação do prefeito José Auricchio Júnior (PTB). Apesar de a legenda no município estar sob o comando de seu irmão, Marquinho Tortorello, a possibilidade é praticamente nula em razão de Luizinho não ser unanimidade na sua sigla e no PTB.

Auricchio já confirmou que seu candidato à sucessão virá dos quadros petebistas. Portanto, a única chance seria pleitear o cargo de vice. Porém, nem mesmo o posto deve contar com pressão oriunda do PPS, já que Alex Manente não quer se indispor com o prefeito, após receber em 2010 apoio oficial à reeleição, sendo o candidato a deputado estadual mais votado da cidade.

Luizinho alegou que desencontros políticos são comuns no cenário eleitoral. Por conta disso, o popular-socialista acredita ser natural o interesse de outros partidos em convidá-lo para concorrer à cadeira de Auricchio. "Existem namoros (com outras siglas), mas por enquanto não dá para adiantar nada."

Sobre a mudança do nome para representar a família, Luizinho afirma que grupo o adotou por considerar o momento oportuno, comungando do mesmo objetivo. "Marquinho sempre foi o escolhido e deu sua contribuição à sociedade. Chegou a minha oportunidade e estou preparado, com experiência. Me privei durante todo esse tempo, só que agora não me resguardarei mais." Jayme Tortorello, tio de Luizinho, concorreu em 2008 pelo PT, sem sucesso.

Segundo o empresário, a população o para nas ruas para dizer que sente falta da família no comando. "Marcou na administração de São Caetano. O nome não tem como ser esquecido." Luizinho fez ainda sutil crítica ao atual governo dizendo que é procurado no sentido de solucionar problemas da cidade. "As pessoas pedem nosso retorno, para suprir o que está faltando, que são certo time de vida e alegria. Por isso começamos a pesar."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;