Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Justiça Eleitoral barra prestação de contas de Audair Leonel

Reprodução/Facebook Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Vereador eleito pelo PPS em Diadema fez movimentação fora da conta bancária


Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

22/11/2016 | 07:00


Vereador eleito em Diadema, Audair Leonel (PPS) teve a prestação de contas de sua campanha rejeitada pela Justiça Eleitoral. Análise feita em primeira instância apontou movimentação financeira fora da conta bancária aberta pelo popular-socialista e despesas não declaradas pelo futuro parlamentar. Ainda cabe recurso.

A decisão, entretanto, não gera problemas eleitorais a Leonel, segundo especialista consultado pelo Diário. Alberto Luís Rollo, advogado especializado em Direito Eleitoral, indicou que negativas às prestações de conta geram multas, mas não impedem que o eleito seja diplomado e tome posse normalmente.

“O que pode haver é o ponto de partida de uma investigação no Ministério Público. Por exemplo, se houver indícios de caixa dois, o caso vai para a promotoria e, lá, dependendo do avanço, pode ser oferecida ação por improbidade ou denúncia de crime”, relatou.

Segundo a Justiça Eleitoral, Audair Leonel pagou R$ 900 pelo aluguel de um imóvel sem que esse dinheiro tivesse saído da conta bancária aberta por ele para a campanha. Nota fiscal de doação da empresa WAG Gráfica Ltda também não consta na relação entregue pelo vereador eleito, o que pode caracterizar omissão de recursos por parte do então candidato. Outra falha indicada foi com relação ao uso de R$ 3.790 para pagamento de material de publicidade sem devida identificação eletrônica.

Audair Leonel atuou na Secretaria de Transportes no governo de Lauro Michels (PV). Recebeu 2.850 votos, em coligação do PPS com PEN e DEM, sendo o quarto colocado desta aliança – a parceria elegeu cinco parlamentares. Em 2012, pelo PR, obteve R$ 1.735 votos e ficou como primeiro suplente da bancada que tinha emplacado quatro nomes. O popular-socialista não retornou aos contatos da equipe do Diário.

Outro vereador que teve contas rejeitadas foi Reinaldo Meira (DEM), que fracassou nas urnas no dia 2. Segundo a Justiça Eleitoral, Meira não comprovou doações acima de R$ 2.000 de pessoas desempregadas e até recursos recebidos de beneficiários de programas sociais. No caso do democrata, também cabe recurso da decisão. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Justiça Eleitoral barra prestação de contas de Audair Leonel

Vereador eleito pelo PPS em Diadema fez movimentação fora da conta bancária

Raphael Rocha
Do Diário do Grande ABC

22/11/2016 | 07:00


Vereador eleito em Diadema, Audair Leonel (PPS) teve a prestação de contas de sua campanha rejeitada pela Justiça Eleitoral. Análise feita em primeira instância apontou movimentação financeira fora da conta bancária aberta pelo popular-socialista e despesas não declaradas pelo futuro parlamentar. Ainda cabe recurso.

A decisão, entretanto, não gera problemas eleitorais a Leonel, segundo especialista consultado pelo Diário. Alberto Luís Rollo, advogado especializado em Direito Eleitoral, indicou que negativas às prestações de conta geram multas, mas não impedem que o eleito seja diplomado e tome posse normalmente.

“O que pode haver é o ponto de partida de uma investigação no Ministério Público. Por exemplo, se houver indícios de caixa dois, o caso vai para a promotoria e, lá, dependendo do avanço, pode ser oferecida ação por improbidade ou denúncia de crime”, relatou.

Segundo a Justiça Eleitoral, Audair Leonel pagou R$ 900 pelo aluguel de um imóvel sem que esse dinheiro tivesse saído da conta bancária aberta por ele para a campanha. Nota fiscal de doação da empresa WAG Gráfica Ltda também não consta na relação entregue pelo vereador eleito, o que pode caracterizar omissão de recursos por parte do então candidato. Outra falha indicada foi com relação ao uso de R$ 3.790 para pagamento de material de publicidade sem devida identificação eletrônica.

Audair Leonel atuou na Secretaria de Transportes no governo de Lauro Michels (PV). Recebeu 2.850 votos, em coligação do PPS com PEN e DEM, sendo o quarto colocado desta aliança – a parceria elegeu cinco parlamentares. Em 2012, pelo PR, obteve R$ 1.735 votos e ficou como primeiro suplente da bancada que tinha emplacado quatro nomes. O popular-socialista não retornou aos contatos da equipe do Diário.

Outro vereador que teve contas rejeitadas foi Reinaldo Meira (DEM), que fracassou nas urnas no dia 2. Segundo a Justiça Eleitoral, Meira não comprovou doações acima de R$ 2.000 de pessoas desempregadas e até recursos recebidos de beneficiários de programas sociais. No caso do democrata, também cabe recurso da decisão. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;