Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 22 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Recesso: Diadema saiu na frente


Miriam Gimenez
Do Diário do Grande ABC

19/03/2006 | 08:38


O único projeto relevante votado neste ano do Grande ABC foi o da redução do recesso parlamentar, aprovado pioneiramente por Diadema. Lá, ao invés de 75 dias de férias, os vereadores terão agora 55 dias. Em seguida, vem Santo André e São Bernardo. Na primeira, os vereadores começaram a discutir na última semana a mesma proposta e na segunda houve também um projeto protocolado.

Mesmo o tema sendo importante, o vereador de Diadema Manoel Eduardo Marinho, o Maninho (PT) esperou mais de oito anos para sua proposta ser aprovada. A matéria foi à votação em setembro do ano passado, quando foi rejeitada por nove votos a seis, com uma ausência.

Maninho decidiu então coletar 13,5 mil assinaturas (5% do eleitorado da cidade) para apresentar uma emenda popular. Conseguiu pouco mais de 10 mil, mas, com ajuda da pressão popular sobre a Câmara Federal, que levou à redução das férias dos parlamentares de Brasília de 90 para 55 dias, não precisou da emenda popular e viu os colegas mudar de posição rapidamente.

Em Santo André, a proposta foi apresentada simultaneamente por dois adversários políticos: Cláudio Malatesta, presidente do PT na cidade e uma das lideranças do bloco de sustentação na Câmara, e Paulinho Serra (PSDB), na oposição. Porém, o projeto que poderia ser aprovado sem problemas, já que tem o apoio dos dois lados na Câmara, promete fazer barulho. Isso porque a maioria dos vereadores ouvidos pelo Diário, embora afirmem ser favoráveis à alteração - de 87 para 55 dias de recesso -, acreditam que será preciso haver mais discussão na Casa.

Eles alegam que a rotina é diferenciada em Santo André, por não receberem pelas sessões extraordinárias e por haver duas sessões durante a semana, além de trabalharem no gabinete durante o recesso.

Na Câmara de São Bernardo, o vereador Tião Mateus (PT) propôs a redução de 75 para 45 dias. Segundo ele, já que foi aprovado em Diadema não tem porque não ser aprovado em São Bernardo. O líder de governo Alex Manente (PPS) afirmou que existem projetos da mesma natureza da sustentação tramitando na Casa, porém concorda com o opositor. "Independente do pai da criança é uma vontade de todos os vereadores desenvolver esse trabalho", finalizou.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Recesso: Diadema saiu na frente

Miriam Gimenez
Do Diário do Grande ABC

19/03/2006 | 08:38


O único projeto relevante votado neste ano do Grande ABC foi o da redução do recesso parlamentar, aprovado pioneiramente por Diadema. Lá, ao invés de 75 dias de férias, os vereadores terão agora 55 dias. Em seguida, vem Santo André e São Bernardo. Na primeira, os vereadores começaram a discutir na última semana a mesma proposta e na segunda houve também um projeto protocolado.

Mesmo o tema sendo importante, o vereador de Diadema Manoel Eduardo Marinho, o Maninho (PT) esperou mais de oito anos para sua proposta ser aprovada. A matéria foi à votação em setembro do ano passado, quando foi rejeitada por nove votos a seis, com uma ausência.

Maninho decidiu então coletar 13,5 mil assinaturas (5% do eleitorado da cidade) para apresentar uma emenda popular. Conseguiu pouco mais de 10 mil, mas, com ajuda da pressão popular sobre a Câmara Federal, que levou à redução das férias dos parlamentares de Brasília de 90 para 55 dias, não precisou da emenda popular e viu os colegas mudar de posição rapidamente.

Em Santo André, a proposta foi apresentada simultaneamente por dois adversários políticos: Cláudio Malatesta, presidente do PT na cidade e uma das lideranças do bloco de sustentação na Câmara, e Paulinho Serra (PSDB), na oposição. Porém, o projeto que poderia ser aprovado sem problemas, já que tem o apoio dos dois lados na Câmara, promete fazer barulho. Isso porque a maioria dos vereadores ouvidos pelo Diário, embora afirmem ser favoráveis à alteração - de 87 para 55 dias de recesso -, acreditam que será preciso haver mais discussão na Casa.

Eles alegam que a rotina é diferenciada em Santo André, por não receberem pelas sessões extraordinárias e por haver duas sessões durante a semana, além de trabalharem no gabinete durante o recesso.

Na Câmara de São Bernardo, o vereador Tião Mateus (PT) propôs a redução de 75 para 45 dias. Segundo ele, já que foi aprovado em Diadema não tem porque não ser aprovado em São Bernardo. O líder de governo Alex Manente (PPS) afirmou que existem projetos da mesma natureza da sustentação tramitando na Casa, porém concorda com o opositor. "Independente do pai da criança é uma vontade de todos os vereadores desenvolver esse trabalho", finalizou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;