Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 3 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Brasil suspende importação de carne canadense


Da Agência Brasil

28/05/2003 | 09:12


O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento suspendeu nesta terça-feira, por tempo indeterminado, as importações de bovinos, seus produtos e subprodutos procedentes do Canadá, em razão da ocorrência da Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), a chamada doença da “vaca louca”.

Com o objetivo de preservar o patrimônio pecuário nacional, o Ministério incluiu nessa proibição produtos como carnes, miúdos, embriões, hemoderivados, farinhas de sangue, de carne e de osso autoclavado, resíduos de açougue e abatedouros, vísceras de aves, além de ingrediente ou matéria-prima composta por vísceras de animais alimentados com proteína ou gordura de ruminantes.

Não estão incluídas na suspensão produtos como sêmen, leite e produtos lácteos, colágeno obtido de peles e farinha de ossos calcinados. De 1997 a abril deste ano, o Brasil importou US$ 3,2 milhões em bovinos reprodutores de raça pura.

Durante reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Carne Bovina, nesta terça, no Ministério, foi discutido o novo cenário do comércio internacional do produto a partir do surgimento da “vaca louca” no Canadá. Com a doença, importadores como México, Estados Unidos e Japão suspenderam as compras daquele país.

“Temos que ficar atentos e conseguir uma fatia do mercado do Canadá, que é quarto maior exportador de carne bovina do mundo e detém 83% das vendas para os Estados Unidos”, disse o gerente do setor privado da câmara, Antenor Nogueira.

No entanto, para o diretor-executivo da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), Ênio Marques, o maior ganho para o Brasil será com uma possível elevação nos níveis dos preços. “O Brasil ainda não faz parte da rota de comercialização de carne do Canadá, por isso devemos acompanhar a movimentação dos preços em função da queda da oferta do produto”, afirmou.

Ele acrescentou que os Estados Unidos, onde o consumo per capita é de mais de 40 kg/ano de carne, terão que se auto-abastecer e, em conseqüência, deixarão de atender seus mercados tradicionais.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;