Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 19 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Coreia do Sul deve ajudar empresas de Kaesong



02/05/2013 | 01:29


O governo da Coreia do Sul oferecerá mais de US$ 270 milhões em empréstimos de emergência para ajudar as empresas afetadas pela paralisação do complexo industrial intercoreano de Kaesong, na Coreia do Norte.

O ministério de Finanças disse nesta quinta-feira que os 300 bilhões de wons (US$ 273 milhões) em fundos deverão ajudar a cobrir dívidas e custos operacionais de cerca de 120 empresas sul-coreanas que foram forçadas no início do mês passado a parar a produção das fábricas no complexo industrial.

Em abril, Pyongyang retirou seus 53 mil trabalhadores de Kaesong e proibiu a entrada de pessoas e suprimentos sul-coreanos em Kaesong. Na semana passada, o governo da Coreia do Sul pediu aos trabalhadores sul-coreanos que ainda estavam no local que retornassem ao Sul, depois que Pyongyang rejeitou um pedido de negociações sobre o complexo.

Sete sul-coreanos ainda permanecem no local nesta quinta-feira para negociações sobre salários atrasados aos trabalhadores norte-coreanos. Não está claro quando essas conversas acabarão. As informações são da Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Coreia do Sul deve ajudar empresas de Kaesong


02/05/2013 | 01:29


O governo da Coreia do Sul oferecerá mais de US$ 270 milhões em empréstimos de emergência para ajudar as empresas afetadas pela paralisação do complexo industrial intercoreano de Kaesong, na Coreia do Norte.

O ministério de Finanças disse nesta quinta-feira que os 300 bilhões de wons (US$ 273 milhões) em fundos deverão ajudar a cobrir dívidas e custos operacionais de cerca de 120 empresas sul-coreanas que foram forçadas no início do mês passado a parar a produção das fábricas no complexo industrial.

Em abril, Pyongyang retirou seus 53 mil trabalhadores de Kaesong e proibiu a entrada de pessoas e suprimentos sul-coreanos em Kaesong. Na semana passada, o governo da Coreia do Sul pediu aos trabalhadores sul-coreanos que ainda estavam no local que retornassem ao Sul, depois que Pyongyang rejeitou um pedido de negociações sobre o complexo.

Sete sul-coreanos ainda permanecem no local nesta quinta-feira para negociações sobre salários atrasados aos trabalhadores norte-coreanos. Não está claro quando essas conversas acabarão. As informações são da Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;