Fechar
Publicidade

Sábado, 27 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Faturamento da indústria cresce 9,9% em 2010, diz CNI


Pedro Souza
Do Diário do Grande ABC

11/02/2011 | 07:17


O setor industrial, de forma geral, teve forte expansão em 2010 em relação ao ano anterior, tanto no que se refere ao faturamento quanto ao nível de emprego, entre outros indicadores.

É o que aponta pesquisa da CNI (Confederação Nacional da Indústria) divulgada ontem. Pelo estudo, as vendas das fabricantes, em média, cresceram 9,9% no ano passado frente a 2009, as contratações tiveram 5,4% de impulso e o rendimento médio real (descontada a inflação) subiu 0,5%.

A boa performance foi atribuída pela CNI, sobretudo, à aceleração da atividade nos primeiros meses do ano. No primeiro trimestre de 2010, ainda estavam em vigor incentivos tributários - como a redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para carros e eletrodomésticos - que colaboraram para o aquecimento da economia.

Outro fator que influenciou a alta dos indicadores industriais, segundo o gerente-executivo da unidade de política monetária da entidade, Flávio Castelo Branco, foi o fraco desempenho das fabricantes em 2009.

ACOMODAÇÃO - Apesar da melhora em 2010, faturamento e emprego tiveram retração em dezembro frente a novembro, sinalizando tendência de ritmo lento em 2011. "Não vai ocorrer crescimento tão forte quanto o do ano passado, as projeções são de expansão de 4,5% no PIB (Produto Interno Bruto) da indústria", afirmou o economista Marcelo De Ávila, da CNI.

O último mês do ano é normalmente fraco para a atividade das fábricas - muitas das quais colocam os trabalhadores em férias coletivas -, mas mesmo descontando os fatores sazonais, as vendas do setor recuaram 0,6% e as vagas diminuíram 0,5%.

Foi a primeira vez em 18 meses que o emprego registrou redução. Ávila avalia que não é possível falar em processo de demissões, mas sim em acomodação para patamar de expansão menos expressiva.

OUTROS INDICADORES -  indicador de horas trabalhadas (também descontando a sazonalidade) na indústria também diminuiu no último mês do ano, com queda de 2,2% em comparação com novembro.

Por sua vez, a utilização de capacidade instalada, apesar do corte de vagas e da redução das horas de trabalho, cresceu 0,2 ponto percentual e atingiu 82,8%. Ainda assim, está 0,5% abaixo do nível observado no período pré-crise, ou seja, setembro de 2008.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;