Fechar
Publicidade

Sábado, 21 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Coreia do Norte
condena americano

Condenação do guia turístico Kenneth Bae ocorre por
conta de 'atos hostis' não especificados contra o país



02/05/2013 | 00:12


A Coreia do Norte disse que um cidadão norte-americano detido no país desde o final do ano passado foi condenado a 15 anos de "trabalho compulsório" por "atos hostis" não especificados contra o país.

 

Kenneth Bae, um guia turístico do estado de Washington, foi julgado nesta terça-feira na instância mais alta da justiça da Coreia do Norte, afirmou a Korean Central News Agency (KCNA, a agência estatal de notícias) nesta quinta-feira (horário local).

 

"O Supremo Tribunal Federal o condenou a 15 anos de trabalho compulsório por este crime", disse a KCNA.

 

A Coreia do Norte não forneceu detalhes sobre o suposto crime cometido por Bae, mas ativistas em Seul dizem que ele estava interessado em chamar atenção para questões humanitárias e pode ter sido detido pela posse de imagens de crianças norte-coreanas desabrigadas.

 

Bae entrou em Rason, uma zona econômica especial norte-coreana na fronteira com a China e a Rússia, em novembro do ano passado com um grupo de turistas e foi detido logo em seguida.

 

Nos últimos anos, ex-presidentes norte-americanos viajaram para a Coreia do Norte para garantir a libertação dos cidadãos dos EUA detidos em território norte-coreano. A imprensa sul-coreana informou na quinta-feira que o ex-presidente dos EUA Jimmy Carter estava tentando fazer uma visita à Coreia do Norte, o que pode fazer parte de um movimento para trazer Bae de volta para os EUA.

 

Carter garantiu a liberação de Aijalom Mali Gomes em 2010, depois que o cidadão dos EUA foi considerado culpado de supostos crimes semelhantes. O escritório de Carter não estava imediatamente disponível para comentar sobre os relatos da mídia. As informações são da Dow Jones.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Coreia do Norte
condena americano

Condenação do guia turístico Kenneth Bae ocorre por
conta de 'atos hostis' não especificados contra o país


02/05/2013 | 00:12


A Coreia do Norte disse que um cidadão norte-americano detido no país desde o final do ano passado foi condenado a 15 anos de "trabalho compulsório" por "atos hostis" não especificados contra o país.

 

Kenneth Bae, um guia turístico do estado de Washington, foi julgado nesta terça-feira na instância mais alta da justiça da Coreia do Norte, afirmou a Korean Central News Agency (KCNA, a agência estatal de notícias) nesta quinta-feira (horário local).

 

"O Supremo Tribunal Federal o condenou a 15 anos de trabalho compulsório por este crime", disse a KCNA.

 

A Coreia do Norte não forneceu detalhes sobre o suposto crime cometido por Bae, mas ativistas em Seul dizem que ele estava interessado em chamar atenção para questões humanitárias e pode ter sido detido pela posse de imagens de crianças norte-coreanas desabrigadas.

 

Bae entrou em Rason, uma zona econômica especial norte-coreana na fronteira com a China e a Rússia, em novembro do ano passado com um grupo de turistas e foi detido logo em seguida.

 

Nos últimos anos, ex-presidentes norte-americanos viajaram para a Coreia do Norte para garantir a libertação dos cidadãos dos EUA detidos em território norte-coreano. A imprensa sul-coreana informou na quinta-feira que o ex-presidente dos EUA Jimmy Carter estava tentando fazer uma visita à Coreia do Norte, o que pode fazer parte de um movimento para trazer Bae de volta para os EUA.

 

Carter garantiu a liberação de Aijalom Mali Gomes em 2010, depois que o cidadão dos EUA foi considerado culpado de supostos crimes semelhantes. O escritório de Carter não estava imediatamente disponível para comentar sobre os relatos da mídia. As informações são da Dow Jones.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;