Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 29 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Consórcio faz cobrança sobre estoque de kits

Ricardo Trida/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

16/09/2016 | 07:00


O GT (Grupo de Trabalho) de Saúde, do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, que reúne representantes da área das sete cidades, solicitou que o DRS (Departamento Regional de Saúde), vinculado à Secretaria de Estado da Saúde, avise aos municípios, com o máximo de antecedência, se neste ano será mantida a restrição à coleta de novas amostras de sangue de casos suspeitos de dengue. A situação tem dificultado a constatação de registros da doença na região. Em maio, o Diário noticiou que 3.890 notificações suspeitas da doença tinham confirmação.

O exame é feito pelo Instituto Adolfo Lutz e, em março, a Coordenadoria de Controle de Doenças do Estado emitiu comunicado estabelecendo critérios para a realização, como casos graves e óbitos. Na época, o Estado declarou que a medida se fez necessária devido à contingência de kits para diagnóstico da doença, “decorrente das falhas na entrega pelo Ministério da Saúde”.

“Tivemos uma reunião com a DRS em agosto, que se comprometeu a nos trazer em outubro, ou mais tardar em novembro, uma resposta definitiva”, falou o coordenador do GT de Saúde e secretário da área em Santo André, Homero Nepomuceno Duarte. “A campanha de combate à dengue na região foi um sucesso, conseguimos enfrentar bem a questão, mas o ponto fraco foi a falta da sorologia”, acrescentou.

No entanto, o secretário não demonstra otimismo quanto a mudança na situação. “A minha opinião, falando como secretário de Saúde, é que os municípios não terão como fugir de adquirir os kits, caso os governos estadual e federal não forneçam a quantidade suficiente. Não sei o que teremos de sacrificar e deixar de fazer (caso a restrição de exames continue). “Se isso acontecer, podemos discutir alternativa de compra regional do kit, para baratear a aquisição”, completou.

OUTRAS DOENÇAS

Neste ano, além da dengue, a região reforçará o enfrentamento a outras duas enfermidades, também ocasionadas pelo mosquito Aeds aegypti: o zika vírus e a febre chikungunya. “A campanha que vamos definir no Consórcio, no próximo mês, vai manter a questão da dengue, porque em termos de número vai ser o principal caso de ocorrência, mas vamos ter que ficar bastante alertas ao zika e chikungunya, com capacitação e treinamento de funcionários, ações de conscientização para as gestantes, pois o Nordeste já apresentou problemas, o Rio de Janeiro também e a gente sabe que, no verão, as pessoas vão para esses lugares e voltam, o que pode espalhar o vírus em caso de contaminação”, destacou Duarte.
 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;