Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 19 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Hipismo: Vitor Teixeira sonha com Sidney e patrocínio


Do Diário do Grande ABC

01/09/1999 | 19:50


A medalha de ouro, por equipe, e a de bronze, individual, conquistadas nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg, no mês passado, garantiram ao cavaleiro Vítor Alves Teixeira convites para disputar provas importantes de saltos, como o concurso de hipismo de Monterrey, no México, em outubro. "Esse é um dos melhores concursos do mundo", acentuou Vítor, que, no entanto, nao tem participaçao assegurada na Olimpíada de Sydney, no ano que vem, embora seja este o seu principal objetivo. "Vamos lutar para isso, para o Brasil formar a melhor equipe possível em Sydney e termos condiçoes de estar nela."

A Confederaçao Brasileira de Hipismo (CBH) ainda nao divulgou o critério de seleçao dos conjuntos para a Olimpíada, mas os cavaleiros supoem o óbvio, que os conjuntos serao observados em alguns concursos no Brasil e os melhores seguirao para uma preparaçao de dois ou três meses na Europa, onde sao disputados os concursos mais fortes do mundo, com a presença dos principais conjuntos, incluindo os adversários da Olimpíada. Vítor, de 41 anos, o cavaleiro mais experiente do Brasil nos Jogos Pan-Americanos, calcula que serao necessários cerca de US$ 30 mil para uma preparaçao de três meses, na Europa, visando à Olimpíada de Sydney. Vítor observa que alguns cavaleiros - inclui-se na lista - nao terao recursos próprios para bancar tal treinamento. "Nao sei como, mas sei que vamos precisar de algum tipo de ajuda", afirmou.

O cavaleiro entende que a CBH deverá apresentar o seu projeto de preparaçao dos cavaleiros ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB), que também poderá buscar ajuda no Instituto Nacional de Desenvolvimento do Desporto (Indesp).

Vítor disse que está apoiando projeto do senador Pedro Piva para que o esporte tenha 10% da verba das loterias. "Recebi uma circular do senador e enviei o meu apoio; acho que esse é o único horizonte para outros esportes que nao o futebol."

Concurso - Vítor Alves Teixeira participa a partir de sexta-feira, no Clube Hípico de Santo Amaro, de um festival de competiçoes hípicas, que inclui o Concurso de Salto Nacional e o Campeonato Paulista de Seniors. Vítor nao vai saltar com Jolly Boy, o cavalo que levou aos Jogos Pan-Americanos. Vai montar alguns animais do Haras Agromen, de Orlândia. Sexta-feira, as provas começam às 10 horas (Rua Visconde de Taunay, 508, Santo Amaro).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Hipismo: Vitor Teixeira sonha com Sidney e patrocínio

Do Diário do Grande ABC

01/09/1999 | 19:50


A medalha de ouro, por equipe, e a de bronze, individual, conquistadas nos Jogos Pan-Americanos de Winnipeg, no mês passado, garantiram ao cavaleiro Vítor Alves Teixeira convites para disputar provas importantes de saltos, como o concurso de hipismo de Monterrey, no México, em outubro. "Esse é um dos melhores concursos do mundo", acentuou Vítor, que, no entanto, nao tem participaçao assegurada na Olimpíada de Sydney, no ano que vem, embora seja este o seu principal objetivo. "Vamos lutar para isso, para o Brasil formar a melhor equipe possível em Sydney e termos condiçoes de estar nela."

A Confederaçao Brasileira de Hipismo (CBH) ainda nao divulgou o critério de seleçao dos conjuntos para a Olimpíada, mas os cavaleiros supoem o óbvio, que os conjuntos serao observados em alguns concursos no Brasil e os melhores seguirao para uma preparaçao de dois ou três meses na Europa, onde sao disputados os concursos mais fortes do mundo, com a presença dos principais conjuntos, incluindo os adversários da Olimpíada. Vítor, de 41 anos, o cavaleiro mais experiente do Brasil nos Jogos Pan-Americanos, calcula que serao necessários cerca de US$ 30 mil para uma preparaçao de três meses, na Europa, visando à Olimpíada de Sydney. Vítor observa que alguns cavaleiros - inclui-se na lista - nao terao recursos próprios para bancar tal treinamento. "Nao sei como, mas sei que vamos precisar de algum tipo de ajuda", afirmou.

O cavaleiro entende que a CBH deverá apresentar o seu projeto de preparaçao dos cavaleiros ao Comitê Olímpico Brasileiro (COB), que também poderá buscar ajuda no Instituto Nacional de Desenvolvimento do Desporto (Indesp).

Vítor disse que está apoiando projeto do senador Pedro Piva para que o esporte tenha 10% da verba das loterias. "Recebi uma circular do senador e enviei o meu apoio; acho que esse é o único horizonte para outros esportes que nao o futebol."

Concurso - Vítor Alves Teixeira participa a partir de sexta-feira, no Clube Hípico de Santo Amaro, de um festival de competiçoes hípicas, que inclui o Concurso de Salto Nacional e o Campeonato Paulista de Seniors. Vítor nao vai saltar com Jolly Boy, o cavalo que levou aos Jogos Pan-Americanos. Vai montar alguns animais do Haras Agromen, de Orlândia. Sexta-feira, as provas começam às 10 horas (Rua Visconde de Taunay, 508, Santo Amaro).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;