Fechar
Publicidade

Sábado, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Marcos pega pênalti e Palmeiras vai à final da Libertadores


Nelson Cilo
Da Redaçao

07/06/2000 | 01:15


Duas vezes Palmeiras. Ao ganhar do Corinthians no tempo normal (3 a 2) e nos pênaltis (5 a 4), o time de Luiz Felipe Scolari despachou o Corinthians da Copa Libertadores. Agora, encara o Boca Juniors ou América do México, nas finais da Competiçao Sul-Americana. Quando a bola começou a rolar, o coraçao passou a bater mais forte do lado de cá e de lá. Ao investir até a linha de fundo e perceber que a arbitragem ignorou o escanteio de Roque Júnior, Edílson esbravejou contra o bandeirinha. De repente, a arrancada de Júnior, que permitiu a defesa de Dida, provocou o primeiro calafrio na Fiel. A dividida de Marcelinho, que acertou as costas de Júnior, ajudou a esquentar o tempo.

Aos 13 minutos, Alex driblou Dida e podia marcar, mas Kléber salvou. Estava tudo igual. Luizao já havia desperdiçado uma chance. Júnior carregava o piano e organizava as melhores opçoes do Palmeiras. O Corinthians, nao menos ousado, também atacava a toda velocidade. Vampeta se transformou no ponto de referência. Até Edu e Ricardinho procuravam encostar em Edílson e Luizao para encurtar distâncias. Marcelinho Carioca era o maestro. Aos 33, o xerife Adílson assustou o goleiro Marcos.

Aos 35, Euller só ajeitou no peito e pegou a zaga corintiana escancarada para abrir a contagem. Bobeira geral. Uma falha tao explícita que nem Sao Dida faria milagre. Aos 38, Marcelinho Carioca cobrou um escanteio na exata medida da cabeça de Luizao. O golaço do centroavante estremeceu o estádio.

O Palmeiras retomou o segundo tempo na base da garra e da coragem. O time de Luiz Felipe Scolari percebeu que se nao mata-se logo morreria depressa. Só que aos sete minutos, Luizao aproveitou a sobra e o bate-rebate para estabelecer 2 a 1, ao concluir um lançamento de Edílson. Aos 14, Alex restabeleceu o empate, ao surgir livre na pequena área para comprovar que ninguém perde sem mais nem menos. Aos 26, Galeano, de cabeça, virou o placar e assegurou a vitória no tempo normal - 3 a 2.

A falta bem cobrada por Alex encontrou a defesa corintiana aberta. O Corinthians recebeu o merecido castigo. Afinal, o time de Oswaldo de Oliveira trocou o equilíbrio do início pela falta de coordenaçao no instante de atacar ou de recuar. O Palmeiras, ao contrário, explorou convenientemente os contragolpes. Nos pênaltis acabou de matar o rival - 5 a 4.

Marcelo Ramos, Roque Júnior, Alex, Asprilla decretaram a vitória. Ricardinho, Fabio Luciano, Edu e Indio fizeram os 4 gols do Corinthians. O goleiro Marcos defendeu o chute de Marcelinho Carioca.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;